"Aqui se 'vive' e se 'respira' poesia... Faça parte deste espaço, siga-nos...

"Aqui se 'vive' e se 'respira' poesia... Faça parte deste espaço, siga-nos...

sexta-feira, 20 de maio de 2016

Boletim 191 - [ Promete, jura!... Definhar... Quando se erra... Emoção e amizade... ]























 
Promete, jura!...
Celso Gabriel de Toledo e Silva – CeGaToSí®
Poeta de Luz® - Arquiteto de Almas® - Poeta dos Sentimentos®
Concebida em: Piracicaba, 19/maio/2016


Meus olhos inquietos ‘seguiram’ aos teus,
Mesmo em disfarce houve olhares repentinos,
Atrevi-me de certo, eu bem me conheço,
Meus olhos fizeram de ti empolgantes versos;

Não venha me enganar com o teu silêncio,
Sei que me olhaste, percebi, mas com discrição,
Observei ao fitar que se fez ser distante,
Mas olhávamos na mesma direção, o desejo;

Meus olhos inquietos ‘seguiram’ aos teus,
Muito mais que isto, parte das emoções e dos sentimentos,
Desejou poder minha pele sentir ao sabor da tua;

Não venha me enganar com o teu silêncio,
Pude perceber que ‘nasceu’ entre nós pura harmonia,
‘Luta’ por mim amor, dizes-me que sim, promete, jura!...



















Definhar...
Celso Gabriel de Toledo e Silva – CeGaToSí®
Poeta de Luz® - Arquiteto de Almas® - Poeta dos Sentimentos®
Concebida em: Piracicaba, 19/maio/2016


‘Feriram’ minh’alma...
Pouco a pouco minha dignidade,
Um mero nada é o que sou agora,
Antes fizeram por acreditar,
‘Deram-me’ então asas,
Permitiram ao meu voo,
Pude alçar novos ares,
E quando alcancei a liberdade
‘Puniram-me’ com a ‘prisão’,
Para ‘dar’ asas a quem não faz merecer,
Para acobertar aos seus erros,
Para se verem livres dos olhos alheios,
De possíveis comentários,
Para que assim tenham ‘estes’ paz,
Enquanto para lhes salvar,
Eu definho.



















Quando se erra...
Celso Gabriel de Toledo e Silva – CeGaToSí®
Poeta de Luz® - Arquiteto de Almas® - Poeta dos Sentimentos®
Concebida em: Piracicaba, 17/maio/2016


Faz-se constante e necessário o entendimento,
Que todo ato será cabível de algum retorno,
É preciso ‘disciplinar’ então as atitudes erradas,
A começar pelas ações em ambiente familiar,
Mas sempre com bom senso e prudência;

O ato de ‘punir’ só deverá acontecer em último caso,
Faz-se palpável primeiro o diálogo, o conversar franco,
Pontuar de certo o acontecido, porque e como aconteceu,
 Ouvir a parte e fazer-se ouvir por quem tenha errado,
Evitar ao máximo o exasperar das palavras em fúria;

Fúria com fúria não se apazigua e só ‘aquece’ a tempestade,
É preciso a ponderação de cada lado e a escolha adequada,
Seja esta através da repreensão verbal ou a proibição d’algo,
Mas que entenda por que das ações e que acontecerá de fato,
Muito mais que ‘punir’ é preciso a conscientização do educar;

Todos, mas todos nós somos passíveis de erros ou má escolha,
O viver é um constante aprender, um aprimorar-se diário,
E para que isto aconteça é preciso quem oriente e conduza,
Seja um pai, uma mãe, um tutor, uma pessoa responsável,
Este buscará n’outro um exemplo a seguir, não um carrasco;

Por isso, pense e repense sempre, analise-se, reflita a respeito,
Coloque-se no lugar de quem praticou e busque compreender,
De certo haverá uma razão para tal, um deslize, um descuido,
‘Domine’ as suas emoções e oferte a razão pela boa solução,
Lembre-se, antes ser um exemplo amigo, do que um amigo sem exemplos.



















Emoção e amizade...
Celso Gabriel de Toledo e Silva – CeGaToSí®
Poeta de Luz® - Arquiteto de Almas® - Poeta dos Sentimentos®
Concebida em: Piracicaba, 15/maio/2016


Ah, a emoção, este mistério que habita em cada um de nós,
‘Testa-nos’ com um pouco de tudo, até sem que se perceba,
Trás e leva, leva e trás em interminável viagem as experiências,
‘Brinca’ conosco, mas não pense, também sabe e como ferir;

Ah, a emoção, este mistério que habita em cada um de nós,
‘Revela’ a alegria, o riso, também as vitórias, até as adversidades,
‘Expõem’ as dores, ora a raiva, ora o descontrole da própria voz,
‘Busca’ de cada qual a maturidade, o aprendizado que se faça vital;

Sendo assim a emoção não ‘sobrevive’ sem a pura e simples amizade,
Àquela que ‘nasce’ do de repente, do inesperado e do inexplicável,
Acontece do ‘encontro’ d’almas que se permitem serem ‘captadas’;

Sendo assim a emoção não ‘sobrevive’ sem a pura e simples amizade,
Da união destes sentimentos é que se encontra a força para a vida,
A segurança da mão amiga, da palavra e do amor incondicional.













Postagens populares