"Aqui se 'vive' e se 'respira' poesia... Faça parte deste espaço, siga-nos...

"Aqui se 'vive' e se 'respira' poesia... Faça parte deste espaço, siga-nos...

sábado, 27 de maio de 2017

Boletim 244 - [ Estar contigo... Já me fiz amor... Meu coração é só teu... ]























Estar contigo...
Celso Gabriel de Toledo e Silva – CeGaToSí®
Poeta de Luz® - Arquiteto de Almas® - Poeta dos Sentimentos®
Concebida em: Piracicaba, 25/janeiro/2017



Ah..., este teu sorrir que me cativa,
Um misto de ingenuidade e de malícia,
Estar contigo é ‘respirar’ da paz em ti,
‘Apaixonados’ estão meus olhos nos teus;

Estar ao teu lado é sereno e reconfortante,
Um vivenciar de emoções e sentimentos,
Momentos, pois de harmonia e segurança,
Alcanço o êxtase em tua meiga companhia;

Ah..., este teu sorrir que me cativa,
Recobro o sentido do viver, recomponho-me,
Faço-me felicidade, sinto o ‘pulsar’ da vida;

Estar ao teu lado é sereno e reconfortante,
De certo, confirmo, sei, alegra-se minh’alma,
Nossa empatia e sintonia são reais e puras.























Já me fiz amor...
Celso Gabriel de Toledo e Silva – CeGaToSí®
Poeta de Luz® - Arquiteto de Almas® - Poeta dos Sentimentos®
Concebida em: Piracicaba, 17/abril/2017



Já houve em meu corpo a dor d'amor,
Ferido por dentro, mas em falsa calma,
Alegre no externo, mas sangrando n'alma,
Precisei 'rasgar' ao peito para sobreviver;

Aprendi a não precisar dos teus beijos,
Sofrer em silêncio sem as tuas emoções,
Disfarçar meus sentimentos na tristeza,
Não há mais saudades palpáveis em mim;

Já houve em meu corpo a dor d'amor,
Minha pele tanto se enamorou da tua nas noites,
Fizemo-nos portos seguros, hoje a deriva;

Aprendi a não precisar dos teus beijos,
Apaguei as estrelas e pus um véu na lua,
Hoje espero quem me dê à vida e me ame.






















Meu coração é só teu...
Celso Gabriel de Toledo e Silva – CeGaToSí®
Poeta de Luz® - Arquiteto de Almas® - Poeta dos Sentimentos®
Concebida em: Piracicaba, 13/abril/2017



Que saudade de nossos encontros,
Dos momentos de olhos nos olhos,
Peles que se arrepiavam em prazer,
Vozes ora em sussurro, ora em silêncio;

Que saudade de nossos encontros,
Das noites de alegria, riso e paz,
Das ‘brincadeiras’ d’amor,
Das carícias recíprocas;

Que falta de sentir o teu calor,
O pulsar dos nossos sentimentos,
O expressar de nossas emoções,
O gostar que se fazia tórrido amar;

Que falta de sentir o teu calor,
‘Brincar’ nas curvas do teu corpo,
Do ‘sabor’ dos teus lábios nos meus,
Da harmonia d’almas que em nós havia.















Postagens populares