"Aqui se 'vive' e se 'respira' poesia... Faça parte deste espaço, siga-nos...

"Aqui se 'vive' e se 'respira' poesia... Faça parte deste espaço, siga-nos...

sexta-feira, 16 de junho de 2017

Boletim 247 - [ Entre vidas... E se eu partisse... Meu Homem!... ]

























Entre vidas...
Celso Gabriel de Toledo e Silva – CeGaToSí®
Poeta de Luz® - Arquiteto de Almas® - Poeta dos Sentimentos®
Concebida em: Piracicaba, 04/fevereiro/2017


Chegará o dia que atravessaremos ao portão da nossa imortalidade,
Poderá ser florido com um belo jardim ou um ‘mar’ de desolação,
Tudo dependerá do que for ‘plantado’ no tempo do viver terreno,
Muito mais do que for ‘colhido’ deste plantio, bons ou maus frutos;

Olhamos para nós mesmos, pensamos e repensamos o viver,
Analisamos ou não nossos atos, escolhas, o agir ou a indiferença,
Ninguém fará por nós, pode haver os que busquem nos prejudicar,
Contudo toda atitude é pessoal e intransferível, você é o seu senhor;

A escolha do que praticar sempre será de quem assim determinou,
O bem ou o mal não se impõem, esperam que o discernimento seja sensato,
Se houver a opção pelo seguir no bem, mesmo com tropeços haverá o bem,
Se houver a opção pelo seguir no mal, mesmo agindo errado, haverá o mal;

Ninguém jamais estará imune do que praticar, há uma Lei e um retorno,
Somos ‘frutos’ d’um passado que não nos é revelado, apenas o que se deve sanar,
Aprender as lições, adquirir a maturidade espiritual, praticar a bondade é o lema,
Dar vida a ‘árvore interior’ para que ‘germine’ e que não morra ainda em semente.

























E se eu partisse...
Celso Gabriel de Toledo e Silva – CeGaToSí®
Poeta de Luz® - Arquiteto de Almas® - Poeta dos Sentimentos®
Concebida em: Piracicaba, 28/abril/2017



Mesmo que possa certo não ser palpável o possível olho no olho,
Não exista, pois a nós a sensação do permitir sentir da pele na pele,
Ouvir por instantes cada qual ao som da sua própria voz próxima,
Como seria em ti a sensação e a reação se ouvisse - e se eu partisse;

Mesmo que eu não demonstrasse a você todo o meu sincero gostar,
Não deixasse transparecer a alegria que ‘floresce’ em mim por você,
Que meu dia se faz outro com você ao meu lado, mesmo em silêncio,
Como seria em ti observar e manifestar se ouvisse – e se eu partisse;

Mesmo que não lhe dissesse todos os mais secretos segredos d’amor,
E nem precisasse por que você já os conhece através do meu expressar,
Que mesmo assim ficasse sem me dizer nada, mas se fizesse apaixonar,
Como seria em ti a percepção e o sentir se ouvisse – e se eu partisse;

Mesmo que tudo fosse realizado numa única oferta de tempo,
Estar olho no olho, o sincero gostar, os segredos d’amor,
Não houvesse uma segunda chance,
Teria que ser naquele dia;

Como seria
Em ti a
Forma
De agir?

Haveria
O aceitar?
O ‘sabor’,
O prazer;

Do real,
Da presença,
O enfrentar do inesperado, do medo, da ansiedade,
Abdicaria de tudo por este instante, fosse mágico ou não?
Mesmo que no final de tudo ainda tivesse que ouvir – e se eu partisse.























[Texto idealizado através do falar d'uma amiga que me solicitou
que fizesse uma poesia romântica, mas com sutil erotismo]

Meu Homem!...
Celso Gabriel de Toledo e Silva – CeGaToSí®
Poeta de Luz® - Arquiteto de Almas® - Poeta dos Sentimentos®
Concebida em: Piracicaba, 1/dezembro/2009


Este ser que tanto aguardo,
Sonho e desejo, pois reais,
Chegará assim numa madrugada,
Do inesperado, sequer lembrado;

Virá sorrateiro como almejo,
Encontrar-se-á comigo pelo destino,
Um olhar, um sorriso discreto,
O mesmo calor em nossos corpos;

Numa noite fria, indecentemente,
Será meu cobertor de amor,
Será a chama de vida,
A luz temporária que me realizará;

Seremos eu e ele...
Boa música, bom vinho,
Carícias, afagos e safadezas,
Livres das fantasias, envoltos em êxtase.

















Postagens populares