"Aqui se 'vive' e se 'respira' poesia... Faça parte deste espaço, siga-nos...

"Aqui se 'vive' e se 'respira' poesia... Faça parte deste espaço, siga-nos...

sexta-feira, 22 de julho de 2016

Boletim 200 - [ Sempre é tempo... Palavras... Excitante prazer... Meu amor, minha felicidade... Mortais, alguns humanos... Perfídia... Lembra de mim?... ]






















Sempre é tempo...
Celso Gabriel de Toledo e Silva – CeGaToSí®
Poeta de Luz® - Arquiteto de Almas – Poeta dos Sentimentos®
Concebida em: Piracicaba, 29/maio/2016


Não me venha falar das lágrimas quando há tanto o que sorrir,
Não pontue ao tempo perdido se há tanto o que ser vivido,
Não desdenhe ao passado se foi você que o assim construiu,
Pare com as lamentações, não lhe trarão nenhum benefício;

A vida e o viver precisam ser encarados de frente e sem medo,
Tal como devem ser as emoções e sentimentos vivenciados,
Aceitá-los e entendê-los quando ofertam ao bem ou ao mal,
São estes partes de nossas escolhas e de nossos aprendizados;

Tudo parecerá difícil de momento, até mesmo a sua aceitação,
Mas não tenha medo, enfrente-os que a coragem e a vitoria virão,
Não desista jamais, é a sua vida e ninguém a viverá por você;

As dores, por pior que sejam nos fortalecem e nos curam também,
Dá-nos a consciência de nossa frágil existência e assim nos forja,
Lembre-se, depois de toda tempestade é tempo de se reconstruir.
























Palavras...
Celso Gabriel de Toledo e Silva – CeGaToSí®
Poeta de Luz® - Arquiteto de Almas® - Poeta dos Sentimentos®
Concebida em: Piracicaba, 15/julho/2016


Não pense que eu ‘mando’ nas palavras,
São ‘elas’ que ditam as regras para este,
Jamais mentiria ‘usando-as’ sobre as dores,
Tão pouco as difamaria sobre as alegrias;

Há muita força, mas também muita suavidade,
‘Aprisionam’ ou ofertam a alforria do viver,
‘Suportam’ dores, compartilham felicidades,
‘Libertam’ saudades, se preciso expulsam solidão;

Não pense que eu ‘mando’ nas palavras,
Eu as oiço ‘cantarem’ cá em meus ouvidos,
‘Testam’ antes as minhas emoções e na pele;

Há muita força, mas também muita suavidade,
Jamais serei seu escravo, serei sim um porta-voz,
 Àquele que ‘leva’ através da poesia verdades.
























Excitante prazer...
Celso Gabriel de Toledo e Silva – CeGaToSí®
Poeta de Luz® - Arquiteto de Almas® - Poeta dos Sentimentos®
Concebida em: Piracicaba, 14/julho/2016


O que busco e quero é estar em teus braços,
‘Aquecendo’ ao meu corpo no calor do teu,
Sentir a maciez das tuas mãos em minha pele,
Os afagos e as carícias que me provoquem a mente;

Ouvir a tua voz sussurrar-me galanteios, até mais,
Teus dedos, ‘estes’ ‘brincando’ cá em minhas curvas,
Teus lábios na minha nuca insinuantes e atrevidos,
Um provocante desabotoar aqui, outro logo ali e acolá;

Fechar meus olhos, ‘libertar’ desejos e me entregar,
‘Ouvir’ aos meus sentimentos e emoções sem medo,
Ofertar, pois a ti meu corpo, minha pele na tua pele;

Envolver-te em plenitude com a pureza de minh’alma,
Ficarmos em pleno silêncio, apenas o pulsar dos corações,
No respirar ofegante deste nosso amar em excitante prazer.











 













Meu amor, minha felicidade...
Celso Gabriel de Toledo e Silva – CeGaToSí®
Poeta de Luz® - Arquiteto de Almas® - Poeta dos Sentimentos®
Concebida em: Piracicaba, 19/julho/2016


Que o nosso amor possa ser assim em nós, uma nova canção,
Renovando, pois a cada dia aos laços d’esta sublime emoção,
Fortalecendo n’alma aos vínculos dos sentimentos vivenciados,
Sejamos pura felicidade, mesmo quando tudo for adversidade;

Que o nosso amor possa ser assim em nós, uma nova canção,
‘Nasça’ em nós o constante desejo do renovar d’esta paixão,
Vejamos em nossos olhos o mesmo brilho do primeiro olhar,
Acordar todos os dias contigo ao meu lado, mesmo nas lágrimas;

Minha pele hoje ‘respira’ da sua e assim será pela nossa vida,
Não somos mais metades perdidas, somos inteiros em harmonia,
Não há tristeza que nos vença, nem saudade que nos abale;

Minha pele hoje ‘respira’ da sua e assim será pela nossa vida,
‘Escolhemo-nos’ para descobrir aos mistérios e prazeres do viver,
Queremos, pois a vida assim, até que nossa ‘chama’ se eternize.
























Mortais, alguns humanos...
Celso Gabriel de Toledo e Silva – CeGaToSí®
Poeta de Luz® - Arquiteto de Almas® - Poeta dos Sentimentos®
Concebida em: Piracicaba, 20/julho/2016


Não se engane, todos somos iguais, eu sou como você,
Não somos ‘deuses’, apenas somos meros mortais, passageiros,
Oferto, é claro, ao semelhante que se permita a alegria e risos,
Suporto por vezes como você e até sozinho, dores e feridas;

Quando é preciso d’os meus olhos ‘sorriem’ algumas lágrimas,
Não tenho, pois vergonha de expô-las, ‘liberto-as’ mesmo,
Sei que ainda há em mim o sentimento de humanidade,
Tenho n’alma compaixão e solidariedade ao próximo;

Sou como você, ‘feito’ de emoções e sentimentos,
Aprecio e respeito à vida, muito mais ao viver,
Os desejos que almejam alcançar a verdade;

Não se engane, todos somos iguais,
Apenas somos meros mortais,
Não somos ‘deuses’,
Passageiros;

Temporário,
No Universo,
Parte da Essência;

Amo de certo a natureza e aos animais, esta Benção,
Respeito à diversidade, apesar de duvidar ainda d’algumas pessoas,
Sou e espero que você seja abençoado como eu pelo Amor do Criador.
























Perfídia...
Celso Gabriel de Toledo e Silva – CeGaToSí®
Poeta de Luz® - Arquiteto de Almas® - Poeta dos Sentimentos®
Concebida em: Piracicaba, 20/julho/2016


Jamais cometi ingratidão alguma para contigo, jamais,
Fui-te sempre presente, pessoa honesta e sincera,
Nenhuma vez deixei de lhe querer, e de lhe adorar,
Nunca quis d’outros beijos que não dos teus lábios;

Jamais cometi ingratidão alguma para contigo, jamais,
Meus sentimentos e emoções sempre foram reais,
Puros e verdadeiros havia, pois plena transparência,
Minha pele se ‘vestia’ da tua em completo prazer;

Meus olhos brilhavam com o brilho ofertado dos teus,
Tua voz, néctar aos meus ouvidos na madrugada,
No convite provocante de nossas noites em claro;

Meus olhos brilhavam com o brilho ofertado dos teus,
Hoje não mais posso ter-lhe em meus frios braços,
Ficou-me apenas a perfídia como saudade e lembrança.
























Lembra de mim?...
Celso Gabriel de Toledo e Silva – CeGaToSí®
Poeta de Luz® - Arquiteto de Almas® - Poeta dos Sentimentos®
Concebida em: Piracicaba, 17/julho/2016


Lembra de mim?
Quanto lhe segurei em meus braços,
Quantas foram as nossas carícias,
Quantos foram os nossos afagos,
Quantas horas de silêncio:

Quanto prazer,
Quantos olhares,
Quantas emoções,
Quantos sentimentos;

Quanta paixão,
Quantos dias,
Quantas noites,
Quantos suspiros;

Quanto amor,
Quantas juras,
Quanta sintonia,
Quanto calor humano;

Quanto caminhar n’areia,
Quanto ‘brincar’ n’água da praia,
Quanta cumplicidade da Lua em nós,
Quantas horas de êxtase, pele com pele;

Quanto nos acolheu a vida,
Quanto nos protegeu o luar,
Quanto desejo em nossos lábios,
Quantas horas de tórrido amar;
Quanto tempo já faz,
Quanta saudade ficou,
Quanta solidão insiste,
Quanto o passado persiste;

Quantas lembranças,
Quantas alegrias, risos,
Quantas são as ilusões,
Quantas as feridas;

Nega por teus lábios que me desconhece,
Nem amargo lenitivo, nem suave veneno,
Nem olha, pois bem em meus olhos,
 ‘Naufragamos’ de certo em nós,
Lembra de mim?


















Postagens populares