"Aqui se 'vive' e se 'respira' poesia... Faça parte deste espaço, siga-nos...

"Aqui se 'vive' e se 'respira' poesia... Faça parte deste espaço, siga-nos...

sábado, 23 de maio de 2015

Boletim 139 - [ Nem eu, nem você... Ar de outono... Noite fria... Ser Humano... Desisti de você... ]


















Nem Eu, Nem Você...
Celso Gabriel de Toledo e Silva – CeGaToSí®
Poeta de Luz® – Arquiteto de Almas®
Poeta dos Sentimentos®
Concebida em Piracicaba: 10/outubro/2009


Porque vivo ainda enfeitiçado por você?
Quem me dirá o que ainda não compreendo!
Permaneço como que aprisionado por este seu doce sorrir,
Sei que metade necessita desta tua ingenuidade,
Sei que metade necessita desta tua safadeza;

Lembranças as quais se fazem permanecer atuais,
Carícias que tenho consciência não foram esquecidas,
Manifestam-se ainda com mais vigor em minha pele,
Como se juntos estivéssemos dia após dia,
Há momentos de esquecimento, também de martírio;

Sonho sentir novamente teus lábios junto aos meus,
Teu corpo colado ao meu, quase em simbiose,
Boa música, taças de vinho, entre afagos intimidade,
Eu e você, longos olhares, uma vida em comum, nada mais,
Desejos sem realização, esperança sucumbida pela separação;

Serão sempre vivas as recordações gravadas em minha mente,
Uma tarde de sábado quando lhe vi pela primeira vez,
O mesmo brilho em nossos olhos transbordando alegria,
Um abraço, a mesma química, a mesma sensação – amor...
Vidas perdidas sem explicação, sem se saber o porquê, nem eu, nem você.


















Ar de outono...
Celso Gabriel de Toledo e Silva – CeGaToSí®
Poeta de Luz® - Arquiteto de Almas®
Poeta dos Sentimentos®
Concebida em: Piracicaba, 21/maio/2015


Vento,
Gélido,
Solitário,
Ausente,
Impróprio,
Noturno;

Fere,
Sentimentos,
Sensações,
Emoções;

‘Congela’...
Pele,
Lábios,
Olhares;

Sangra,
Cicatriza,
Cura,
Lágrimas;

Saudades,
Solidão,
Abandono,
Passado,
Dificilmente,
N’alma.



















Noite fria...
Celso Gabriel de Toledo e Silva – CeGaToSí®
Poeta de Luz® - Arquiteto de Almas®
Poeta dos Sentimentos®
Concebida em: Piracicaba, 18/maio/2015


Perceptível noite fria de maio,
Abençoa-nos a chuva fina e silenciosa,
De certo convidativa ao devaneio,
Instiga a discreta e saudável preguiça;

Pensamentos tantos e insistentes,
Alguns desejos, realizações...
Quase esquecidos na mente,
Emoções que esperam reciprocidade;

Corpos que anseiam mais que calor,
Solidões que se conflitam na ausência,
Esperanças que não se fazem palpáveis,
Contudo perseveram pelo puro amor;

Divagam solitárias, mas confiantes,
Encontram em alguns olhos lágrimas,
Encontram em alguns olhos brilho,
Sensações que ofertam vida a cada ser.


















Ser Humano...
Celso Gabriel de Toledo e Silva – CeGaToSí®
Poeta de Luz® - Arquiteto de Almas®
Poeta dos Sentimentos®
Concebida em Piracicaba: 18/maio/2007


Aqui sobrevive neste mundo de água e terra,
Entre natureza, fauna e flora quase desarmônicas,
Este mistério chamado ser, que se diz humano,
Constantemente acredita ser quase perfeito, quase...
Diz-se feito à imagem e a semelhança de Deus,
Porém questionado é constante, esmiuçado,
Ás vezes a si mesmo se faz por rogado;

Concebido ou confinado a habitar este mundo material,
Diz o Livro Santo, criado pelo Senhor Supremo para dominar,
Ser racional, inteligência que por vezes o transforma em demente,
Costuma chegar através do ato sexual, decorrente do amor,
Vez ou outra chega através do ato bestial, decorrente de estupro,
Muito mais por irresponsabilidade moral, também por imprudência,
Surge tal qual deve ser, inocente, mais para banal, outra, até anormal;

Liberta-se para a vida através do útero materno, sua melhor proteção,
Extremamente indefeso, incapaz e vulnerável para o viver,
Sem ajuda definha, mas quando alcançar a existência adulta, alguns...
Ainda sim se farão acreditar ser quase o senhor de tudo,
Dotado de memória e discernimento, nem sempre eficientes,
A priori será individualista, pensará em si que em seus semelhantes,
Carrega a sina do desejo de matar, por prazer, quase loucura;

Assim ainda bem será uma minoria, parte infeliz da história,
Alguns, de tempo em tempo, extrapolam o limiar da razão...
Produzem atrocidades, guerras, um mundo de paranóias,
Mesmo com tudo isto, ainda por muitos acabam idolatrados,
Ficando a duvida do quanto se deve cultivar esta insanidade,
Cultuar, talvez para não repetir, ou melhor, pelo bem comum esquecer,
Buscar entender porque se crê precisar da destruição para renascer;

Contudo, mesmo que com tantas adversidades o viver se manifesta,
Há benevolência e somos agraciados com as Bênçãos do Ser Criador,
Carrega-se, quem sabe, como prêmio o prazer do sorrir que contagia,
Carrega-se, quem sabe, como alerta à sensação da dor que solidariza,
Oferta-se, sobretudo, ainda mais paz ante ao ódio entre alguns povos,
Ainda mesmo que sejamos todos de carne e osso, vil material,
Estamos aqui para obter aprendizado, maturidade, ofertar bondade,
Elevação d´alma para quem sabe se alcançar o Caminho da Luz...



















Desisti de você...
Celso Gabriel de Toledo e Silva - CeGaToSi®
Poeta de Luz® - Arquiteto de Almas®
Poeta dos Sentimentos®
Concebida em: 14/janeiro/2012


Confesso, desisti das falsas promessas...
Cansei de ver apenas o tempo seguir,
Eu cá permanecia no aguardo teu como sempre,
Preso a solidão e na esperança da mentira ser verdade;

Desfiz-me de mim para sermos um só,
Ledo e triste se faz este constatar...
Tudo parecia perfeito, um início único,
Pouco a pouco consumido na mesmice;

Hoje abro os olhos para a dura realidade,
Desejos que imaginava concretizados,
Despedaçados e como de costume poucas recordações;

Seguir é a opção do viver, não há volta,
Necessário se faz cicatrizar esta recente dor,
Assim encontrar quem sabe, um novo sorrir.













Postagens populares