"Aqui se 'vive' e se 'respira' poesia... Faça parte deste espaço, siga-nos...

"Aqui se 'vive' e se 'respira' poesia... Faça parte deste espaço, siga-nos...

sábado, 4 de abril de 2015

Boletim 133 - [Sutil amizade... Suplica d'um lobo... Você é importante... Ação e reação... Observações...]



















Sutil amizade...
Celso Gabriel de Toledo e Silva – CeGaToSí®
Poeta de Luz® - Arquiteto de Almas®
Poeta dos Sentimentos®
Concebida em: Piracicaba, 29/março/2015

 Tamanho foi o meu gostar por você que precisei me afastar,
Isto que desabafo é a pura verdade dos meus sentimentos,
Como conviver com uma sensação que não se faz recíproca,
Agi crendo ser a atitude mais sensata e me distanciei;

Tamanho foi o meu gostar por você que precisei me afastar,
Agiste de forma inocente ou consciente que se fez nada perceber,
Não foi capaz de ver quanto meus olhos brilhavam ao teu lado,
Quanto sincero era o meu cuidado com a sua fragilidade;

Para que insistir num sentimento que se mostrava como dor,
Enfrentei aos meus medos por você, contudo não houve retorno,
Preferi então ao acolhimento da ‘amiga’ saudade e da solidão;

Para que insistir num sentimento que se mostrava como dor,
Não lhe julgo tão pouco ao que fiz, não erramos, nem acertamos,
Melhor escolha foi esta sutil amizade, cada qual no seu caminhar.

















Suplica d'um lobo...
Celso Gabriel de Toledo e Silva – CeGaToSí®
Poeta de Luz® - Arquiteto de Almas®
Poeta dos Sentimentos®
Concebida em: Piracicaba, 30/março/2015

Na noite,
Completa,
Faz-se a Lua,
Uiva um lobo,
Majestosa,
Ilumina a relva,
Ao calmo riacho,
Luz que enfeitiça,
‘Senhora’ absoluta,
Paira entre as árvores,
Solitário,
Uiva um lobo,
Anseia pela sua metade,
Pela companheira,
Um roçar de peles,
Um cheirar,
Um encontro,
Um momento sublime,
Quem sabe o procriar,
A troca de genes,
A preservação da espécie,
Um encontro,
Exclusivamente animal,
Livre da presença humana,
Longe da incompreensão,
Distante do homem,
Que fere,
Que captura,
Que mata,
Sem necessidade,
Por prazer,
Da dor,
Do seu falso poder,
Em ser,
O ‘senhor’ absoluto,
Diante,
Do animal,
Desprovido,
Do amor,
Do respeito,
Da piedade,
Repleto,
Da ignorância,
Em relutar,
Não entender,
Que ‘este’,
Também,
É um ‘ser’,
A seu modo,
Com sentimentos.

















Você é importante...
Celso Gabriel de Toledo e Silva – CeGaToSí®
Poeta de Luz® - Arquiteto de Almas®
Poeta dos Sentimentos®
Concebida em: Piracicaba, 28/março/2015

Eu quis deixar de existir,
'Libertar-me' desta existência mortal,
Quanto tentei contra o meu viver,
Por vezes eu busquei um fim;

Quando quase conseguia,
Uma voz chegou a mim e disse:
Você é tão importante para partir,
De certo alguém precisa de você;

Alguém que lhe deseja abraçar,
Rir contigo, rirem um do outro,
Viver e saborear os mistérios da vida,
Não faça isto, fique conosco;

Perguntei então, quem és tu?
Eu sou o seu anjo da guarda,
Sou eu que hoje precisa tanto de você,
Abraça-me e me ensina a ser feliz.































Ação e reação...
Celso Gabriel de Toledo e Silva – CeGaToSí®
Poeta de Luz® - Arquiteto de Almas®
Poeta dos Sentimentos®
Concebida em: Piracicaba, 26/março/2015

A mente,
‘Perde-se’,
‘Encontra-se’,
Depende...
Dos pensamentos,
Se houver a bondade melhor,
Se ao contrario, nem tanto,
Fluirão sempre as ideias,
Para o bem,
Para o mal,
Mas, de certo,
As sensações,
Serão direcionadas,
Para um,
Para outro,
Melhor se voltada para a pureza,
Insatisfatório se para a impureza,
Poderá ser...
Um lenitivo para o corpo,
Poderá ser...
Um martírio n’alma,
Melhor se faz,
Se vivenciada por lúcidas reações,
Jamais,
Pelo infortúnio,
Pela loucura desenfreada,
É-se senhor de si,
‘Condutor’ do discernimento,
Responsável único,
Da harmonia,
Da infelicidade.

















Observações...
Celso Gabriel de Toledo e Silva – CeGaToSí®
Poeta de Luz® - Arquiteto de Almas®
Poeta dos Sentimentos®
Concebida em: Piracicaba, 26/março/2015

Muitos observarão ao findar da tarde e assim dir-se-á:
Encerra-se o dia tristonho e melancólico, mas num ar sereno,
Outros exclamarão em jubilo, quase em êxtase,
Se finda um ciclo da vida entre a magia dos raios de sol,

Muitos observarão ao findar da tarde e assim dir-se-á:
Quanta paz, que harmonia a natureza compartilha,
Revigoram-me ao corpo, as sensações e ao viver;

A alegria ou a tristeza de certo depende dos olhos de quem as vê,
Far-se-á como benção, uma dádiva, ou ferida que não cicatriza,
Sentimentos e emoções ‘libertas’ ou esquecidas em clausura,
Tudo dependerá do estado de espírito e d’alma;

A alegria ou a tristeza de certo depende dos olhos de quem as vê,
Haverá o que não vê beleza em nada, nem na existência,
Mas não há infortúnio que dure, nem fardo que o Criador não seja benevolente.











Postagens populares