"Aqui se 'vive' e se 'respira' poesia... Faça parte deste espaço, siga-nos...

"Aqui se 'vive' e se 'respira' poesia... Faça parte deste espaço, siga-nos...

sábado, 14 de março de 2015

Boletim 131 - [ Livre para o amor... 'Casas' Vazias... 'Feito' à pedra... Marilyn Monroe... Noite mágica... ]



















Livre para o amor...
Celso Gabriel de Toledo e Silva – CeGaToSí®
Poeta de Luz® - Arquiteto de Almas®
Poeta dos Sentimentos®
Concebida em: Piracicaba, 08/março/2015

Se olhares com pureza bem lá no âmago dos meus olhos,
Verá transparente e sem mentira quanto foi viva a saudade de ti,
Pelo tempo, este sábio tempo fez-te desnecessário veneno,
O ‘passar’ dos dias por anos ‘libertaram’ minhas lembranças,
Sendo assim não vives mais ligado a mim em corpo e n’alma;

Se olhares com pureza bem lá no âmago dos meus olhos,
Verá de certo que não há nenhum brilho, nem em disfarce,
Mas creia, já houve muito mais que lágrimas escondidas,
Um misto de alegrias e dores que por certo período nos uniu,
Contudo fomos mais metade do que inteiros nos sentimentos;

Pelo amor puro amor que havia em mim ‘lutei’ pela vida,
Por longo prazo não consegui apunhalar meu próprio coração,
Guardei-te no peito como triste flor a qual esperava florescer,
Dei-te em loucura o meu respirar crendo assim sobreviver;

Pelo amor puro amor que havia em mim ‘lutei’ pela vida,
Descobri no hoje que eu não vivia, estava morto na espera em vão,
Entendi de vez que você nunca me amou como devia ser, iludiu-me,
Como última sanidade eu o ‘libertei’ de meus olhos para ser feliz.


















'Casas' vazias...
Celso Gabriel de Toledo e Silva – CeGaToSí®
Poeta de Luz® - Arquiteto de Almas®
Poeta dos Sentimentos®
Concebida em: Piracicaba, 27/janeiro/2015

Caminho em silêncio,
Pela casa vazia,
Física,
Emocional,
Vazia sim,
Mas da sua presença,
Desencontro-me...
De meu ser,
Muito mais de minh’alma,
Sei de certo que você não está,
Mas mesmo assim...
Meus olhos não se ‘cansam’,
Busca-lhe em vão,
Ainda existe a minha permissão,
Insistem em não desistir,
Clamam pela alforria deste abandono,
Solicitam a ‘liberdade’,
O esquecimento pela saudade,
Do amor que vivemos,
Do amor que não mais existe,
A trégua no corpo físico,
Muito mais das emoções,
Os sentimentos repletos de lembranças,
Antes vida a dois,
Hoje apenas vida,
Consciente – Perdida,
Assumida – Sofrida,
Solitária – Amadurecida,
‘Prisioneira’ da insistente razão,
‘Escravizada’ pelas sensações da sua pele,
Tempo pertencente ao passado,
Que vivíamos em sintonia,
Respirávamos do mesmo ar,
Nutríamo-nos das mesmas carícias,
Enquanto presente fazia-se o gostar,
‘Tecíamos’ infinitos gestos de amor,
Conspirava o viver ao nosso favor,
Fosse perante as adversidades,
Muito mais nas alegrias,
Contudo...
Tudo neste tempo é finito,
Foi assim conosco,
Impiedoso foi o destino,
‘Roubou-nos’ as expectativas,
Os aprendizados,
Deixou de certo em mim lágrimas,
Duras lições,
Haverá de certo um recomeço,
Um tempo melhor,
Confiança,
Cumplicidade,
Envolvimento,
Brilharão meus olhos,
Sorrirei alegre,
Quando menos perceber,
‘Liberto’ estarei,
Poderei ver o teu sorrir,
E ‘dele’ me encantar,
Saberei que chegou minha hora,
Serei feliz,
Seremos...
Mesmo que finito,
Enquanto dure o gostar,
Que de certo,
Far-se-á,
Novamente amor.


















'Feito' à pedra...
Celso Gabriel de Toledo e Silva – CeGaToSí®
Poeta de Luz® - Arquiteto de Almas®
Poeta dos Sentimentos®
Concebida em: Piracicaba, 12/dezembro/2014

Pergunto eu, porque há de haver pessoas ‘feito à pedra’,
Por que se negam ao ‘sentir’ dos sentimentos e das emoções,
Por vezes em bobeira fazem o que não deveriam e se perdem,
Afasta a si mesma das pessoas e as pessoas para distante de si;

Pergunto eu, porque há de haver pessoas ‘feito à pedra’,
Faz-se tão impávido colosso e vive a esconder a fragilidade interior,
A vida é tão ínfima, um piscar de olhos, um segundo no tempo,
Cabe vivê-la com intensidade, longe de mágoas e rancores;

A vida está aqui e nela estamos inseridos para aprender a vivê-la,
Sendo assim esqueça o que é ruim, o que lhe possam ser ruim,
Coloque o perdão no seu pensamento, no seu coração, em su’alma;

A vida está aqui e nela estamos inseridos para aprender a vivê-la,
A felicidade é interior e para ser exterior é preciso permiti-la,
Para tal é preciso começar, pode ser difícil, mas deve-se acreditar e buscar.




























Marilyn Monroe...
Celso Gabriel de Toledo e Silva – CeGaToSí®
Poeta de Luz® - Arquiteto de Almas®
Poeta dos Sentimentos®
Concebida em: Piracicaba, 11/março/2015


Loira – Mulher,
‘Doce’ – Sensual,
Elegante – Meiga,
Pele alva,
Voz suave,
Cabelos fios d’ouro,
Ora ingênua,
Ora sedutora,
Sorriso natural,
Lábios cativantes,
Silhueta...
Essencialmente feminina,
‘Sex simbol’
Arrebatadora de corações,
Cabia-lhe ser criança,
Cabia-lhe ser mãe,
Cabia-lhe ser amante,
Desejada – Querida,
Amada,
Por muitos...
Idolatrada,
Deverás cobiçada,
Por alguns olhos mal vista,
Por outros tantos admirada,
Mortal...
Carne e osso,
Qualidades – Defeitos,
Ser – Pessoa,
Por muitos incompreendida,
Desrespeitada,
Quase esquecida,
De seus sentimentos,
Das suas emoções,
De seus desejos,
Das suas necessidades,
Da sua fragilidade,
Da condição de errar,
De se redimir,
Do perdão,
Da beleza,
D’alma.

































Noite mágica!...
Celso Gabriel de Toledo e Silva – CeGaToSí®
Poeta de Luz® - Arquiteto de Almas®
Poeta dos Sentimentos®
Concebida em: Piracicaba, 10/março/2015

"Homenagem ao programa de Rádio Space Love administrado
por Emiriano Rocha em Lisboa, onde se faz divulgar a poesia."

 
De Lisboa,
Nas noites de,
Quarta e sexta-feira,
Emanam,
Para além-mar,
Pelas ondas do rádio,
Noite mágica,
Ecos para o mundo,
Sem fronteira,
Do compartilhar da música,
Do divulgar da poesia,
Alegrias – Dores,
Emoções – Sentimentos,
Desejos – Sensações,
Saudades – Solidão,
Presente – Passado,
Uma voz destemida,
Faz-se porta-voz de muitas,
Oferta...
Carinho,
Abnegação,
Horas de Paz,
Encontros,
De corpos,
D’almas.












Postagens populares