"Aqui se 'vive' e se 'respira' poesia... Faça parte deste espaço, siga-nos...

"Aqui se 'vive' e se 'respira' poesia... Faça parte deste espaço, siga-nos...

sexta-feira, 11 de dezembro de 2015

Boletim 168 - [ O medo mora comigo... Alma... Corpos e almas... Mágicos instantes... Piedade... ]























O medo mora comigo...
Celso Gabriel de Toledo e Silva – CeGaToSí®
Poeta de Luz® - Arquiteto de Almas® - Poeta dos Sentimentos®
Concebida em: Piracicaba, 30/novembro/2015


Quantas vezes em vão eu ‘libertei’ ao teu nome,
De certo só ouvia-me apenas a cruel solidão,
Fazia-me noite após noite engolir seco minhas dores,
Sufocado pelo amargo gosto da tua saudade;

Quantas vezes em vão eu ‘libertei’ ao teu nome,
Tanto clamei de ti por um tempo de verdade,
Nem tu, nem eu mesmo pudemos nos salvar,
Foram tantas as tuas mentiras, as tuas falsidades;

Aprendi a ‘viver e a falar’ com o lenitivo silêncio,
Quem dorme comigo a noite sou apenas eu,
Sem sentimentos, sem emoções, em dor;

Aprendi a ‘viver e a falar’ com o lenitivo silêncio,
Hoje sei que ‘mora’ comigo o medo que me embala,
Espero pela abençoada alforria mesmo que seja tardia.





















Alma...
Celso Gabriel de Toledo e Silva – CeGaToSí®
Poeta de Luz® - Arquiteto de Almas® - Poeta dos Sentimentos®
Concebida em: 28/novembro/2015


Minh’alma diz-me para onde vou,
Sou apenas ‘feito’ do passado,
Não me lembro do presente,
Proibi-me o tempo de pensar;

Minh’alma diz-me para onde vou,
Conheço apenas a solidão,
Sou feito de vazios imensos,
Pensamentos ocos que me ‘ferem’;

Já ‘morreu’ será o meu gostar?
Não há sentimentos, nem emoções,
Apenas uma espera triste e inútil;

Já ‘morreu’ será o meu gostar?
Clamo ao céu que não seja verdade,
Que o amor apenas tenha me esquecido.





















Corpos e almas...
Celso Gabriel de Toledo e Silva – CeGaToSí®
Poeta de Luz® - Arquiteto de Almas® - Poeta dos Sentimentos®
Concebida em: 8/dezembro/2015


Que o amor que aproxima,
Seja muito mais que olhares,
Una corpos e almas num único ser...





















Mágicos instantes...
Celso Gabriel de Toledo e Silva – CeGaToSí®
Poeta de Luz® - Arquiteto de Almas® - Poeta dos Sentimentos®
Concebida em: 28/novembro/2015


O que seria de cada um de nós se não fossem as lembranças,
Etapas de experiências únicas, emoções que dão vida a vida,
Sentimentos que ‘nascem’ ou ‘morrem’ dos olhos, dos lábios,
Sensações que ofertam o furor do prazer ou o ‘ferir’ d’amarga dor;

O fogo do amor que não se ‘aquieta’ nem com a chuva forte,
Descompassar ou acelerar de corações, limites que se extrapolam,
Corpos em louca busca do êxtase na benção do puro silêncio,
Desejos que fervilham entre peles, lábios, mãos ora atrevidas;

O que seria de cada um de nós se não fossem as lembranças,
Viríamos ao mundo, cresceríamos e por fim partiríamos vazios,
Sem a loucura d’um gesto impensado ou o excesso da razão;

O fogo do amor que não se ‘aquieta’ nem com a chuva forte,
Tudo seria apenas meros acontecimentos sem graça, sem sentido,
Não seríamos o conteúdo do puro amor, da união d’almas.






















Piedade...
Celso Gabriel de Toledo e Silva – CeGaToSí®
Poeta de Luz® - Arquiteto de Almas® - Poeta dos Sentimentos®
Concebida em: Piracicaba, 07/dezembro/2015


Senhor, lhe peço, seja benevolente para com o vosso planeta,
Este segue apenas ao seu curso normal de existência,
Já o ser que habita ao teu santuário não o faz por merecer,
De certo que não são todos, não se pode generalizar,
Mas o nível de culpa hoje é tão alto que poucos escaparão;

Parece até perverso o pedido vir justamente d’um dos teus filhos,
Contudo é mais como súplica para que o equilíbrio se refaça,
Para que se busque uma forma de eliminar ao excesso de joio,
Ainda que pareça tardio preservar ao pouco e bom trigo existente,
Não se está tudo em pleno vão do abismo, há ainda como evitar;

Senhor, lhe peço, seja benevolente para com o vosso planeta,
Tanto se faz por destruí-lo, mas nem todos são assim monstruosos,
Há os que lutam pela sua preservação, por sua harmonia e beleza,
Pela proteção das suas águas, das suas matas, dos pássaros;

Parece até perverso o pedido vir justamente d’um dos teus filhos,
É para que intercedas pelo bem dos justos e dos honestos,
Para que o peso da tua lâmina seja correta e certeira contra ao mal,
Que ainda exista uma chance, um tempo de redenção e de anjos.
















Postagens populares