"Aqui se 'vive' e se 'respira' poesia... Faça parte deste espaço, siga-nos...

"Aqui se 'vive' e se 'respira' poesia... Faça parte deste espaço, siga-nos...

sábado, 11 de julho de 2015

Boletim 146 - [ Escolhas errôneas... Lembranças que doem... Salve seus filhos... 'Calores' d'alma... Assim... ]











                    
                    








Escolhas errôneas...
Celso Gabriel de Toledo e Silva – CeGaToSí®
Poeta de Luz® - Arquiteto de Almas® - Poeta dos Sentimentos®
Concebida em: Piracicaba, 07/julho/2015

Vivemos num tempo,
Onde o agora,
Onde as pessoas,
Negam-se ao poder do bem,
Opta a maioria,
Pela escolha errônea,
O viver da solidão;

Cada qual ‘trancado’ em si,
‘Preso’ ao seu ‘mundinho’,
Isoladas dos afetos,
Mais ainda das emoções,
No renegar dos sentimentos,
Acreditando assim estarem,
Imunes aos percalços do viver;

Fica a dúvida da ingenuidade,
Quem sabe o mal da ignorância,
As lições que não se adquire,
Os ensinamentos que não tem mais valia,
O descaso com o próprio ser,
Medos que vencem a pouca coragem,
A esperança que busca não sucumbir;

Vivemos num tempo,
Cada qual ‘trancado’ em si,
Fingindo que tudo está em harmonia,
Que não há o que se corrigir,
Que cada qual a seu modo é perfeito,
Pleno naquilo que lhe faz bem ou mal,
Senhores d’um passado que não se liberta;

Onde estará o tempo que deveria ser um aliado?
Onde estará à própria pessoa que se nega ao bem?
Destrói a modernidade a humanidade do ser,
Haverá de certo um preço e altíssimo este será,
Já ‘pagam’ as gerações atuais e preferem ao ignorar,
Perde-se a identidade, o respeito, os valores, sem volta,
Aniquila-se a própria essência, a vida, a Fé e por fim n’alma;

A pergunta é palpável. Seremos seres em extinção?
Conscientes das escolhas e incapazes da verdade,
Esperar-se-á que nada mais seja possível para algum agir?
Para quem sabe alguém estender a mão em socorro,
Será preciso que o ser já não tão humano se extermine?
Quem sabe seja esta realmente a melhor solução,
Retirar do planeta ao joio e dar vez ao bom trigo para que o bem renasça.








                    
                    









Lembranças que doem...
Celso Gabriel de Toledo e Silva – CeGaToSí®
Poeta de Luz® - Arquiteto de Almas® - Poeta dos Sentimentos®
Concebida em: Piracicaba, 06/julho/2015

A vida ainda assim faz ‘rouba-me’ todas as possíveis saudades,
Consome com o caminhar as emoções que antes tinham significado,
Proíbe o sentir dos sentimentos que de certo estão esquecidos,
Mais por segurança própria do que por medo de vivenciá-los;

A vida ainda assim faz ‘rouba-me’ todas as possíveis saudades,
Retira dos lábios a alegria do sorrir que ainda espera um retribuir,
Evidencia por vezes as lágrimas, são temporárias, assim se espera,
Um proteger um tanto cruel, mas de tão necessário faz-se lenitivo;

Não me culpo tão pouco as outras pessoas, é consciente a escolha,
Das minhas dores, das minhas cicatrizes, do meu choro só eu entendo,
‘Calei-me’ diante do gostar, das emoções que desgovernam o coração;

Não me culpo tão pouco as outras pessoas, é consciente a escolha,
Sobreviverei, já me fiz entre tanto calejar, suportei a tantos espinhos na pele,
No seu tempo certo tudo ‘renascerá’, farei do amor então poesia aos olhos.








                    
                  









Salve seus filhos...
Celso Gabriel de Toledo e Silva – CeGaToSí®
Poeta de Luz® - Arquiteto de Almas® - Poeta dos Sentimentos®
Concebida em: Piracicaba, 06/julho/2015

Pais, não esqueçam nunca da sua obrigação,
Filho, será sempre filho e este tal qual precisa de vocês,
Não espere para perceber isto quando tiver que lhe dizer adeus;

Educar aos filhos não é apenas ofertar tudo o que ele solicita,
A vida não se resume no 'calar' com bens materiais, permissões,
É preciso ofertar o gostar, o respeito, carinho, o amor que une;

Faz-se necessário ouvi-los, dialogar, questionar, ser seu amigo,
Lembre-se, ele é sangue do teu sangue, carne da tua carne,
Não tenha medo, seja sua melhor companhia, a mão amiga.








                    
                    









‘Calores’ d’alma...
Celso Gabriel de Toledo e Silva – CeGaToSí®
Poeta de Luz® - Arquiteto de Almas® - Poeta dos Sentimentos®
Concebida em: Piracicaba, 04/julho/2015

Na noite que se faz fria de julho,
Sopra o vento quase solitário,
Acompanha-lhe as gotas da chuva,
Cria-se um clima de plena nostalgia;

Na noite que se faz fria de julho,
Corações enamorados que se aninham,
Flertam-se entre gestos e carícias, ‘calores’,
Desejos intensos que emocionam;

‘Nasce’ o fogo do gostar, d’amor,
‘Liberta-se’ as emoções,
Contagia-se de sentimentos;

‘Nasce’ o fogo do gostar, d’amor,
Unem-se nos corpos e n’alma,
Por um tempo emana-se paz.








                    
                    









Assim...
Celso Gabriel de Toledo e Silva – CeGaToSí®
Poeta de Luz® - Arquiteto de Almas® - Poeta dos Sentimentos®
Concebida em: Piracicaba, 04/julho/2015

Eu sou assim,
Feito ao silêncio, feito euforia,
Capto um pouco aqui,
Capto um pouco acolá,
'Liberto' a essência da vida,
De toda a beleza desta magia,
'Crio' e 'recrio' das palavras poesia.







                    
                    



Postagens populares