"Aqui se 'vive' e se 'respira' poesia... Faça parte deste espaço, siga-nos...

"Aqui se 'vive' e se 'respira' poesia... Faça parte deste espaço, siga-nos...

sexta-feira, 13 de junho de 2014

Boletim 99 - [ Teus lábios... Meu amor... Alguns minutos, uma eternidade... ]














Teus lábios...
Celso Gabriel de Toledo e Silva – CeGaToSí®
Poeta de Luz® - Arquiteto de Almas®
Poeta dos Sentimentos®
Concebida em: 19/janeiro/2014


Estes teus lábios, antes salvação, agora pura perdição,
Provoca e excita em minha mente algumas loucuras,
Descompassa meu pulsar, raptando a minha sensatez,
Leva-me para teus braços, o que não dizer de teu corpo;

Estes teus lábios, antes salvação, agora pura perdição,
Confundem o meu pensar, engana minha razão de vez,
Convidam assim os desejos e sentimentos a libertinagem,
Não me fazem mais capaz de mim, de nenhum de meus atos;

Oferta-nos a vida novas experiências, algumas inebriantes,
Acende a química do amor esquecida em nossos corpos,
Reflete no olhar o brilho da felicidade, as alegrias do prazer;

Oferta-nos a vida novas experiências, algumas inebriantes,
Quero junto a ti tudo descobrir, compartilhar o mesmo gozo,
Amar e amar-te sem fantasias, na mais perfeita realidade.












Meu amor...
Celso Gabriel de Toledo e Silva – CeGaToSí®
Poeta de Luz® - Arquiteto de Almas®
Poeta dos Sentimentos®
Concebida em: 25/maio/2014


Meu amor... Um sentimento verdadeiro,
Faz-me gostar de flores, rosas, orquídeas, todas,
Faz-me gostar muito mais de compartilhá-las,
Ver corar o teu rosto e o meu;

Meu amor... Uma sensação única toda liberta somente a ti,
Abraçar-te, acolher-te em meu corpo, mútua proteção,
Respirarmos juntos, ora compassados, ora descompassados,
Sentir em nós que nossas peles se fazem una só;

Quando estou contigo em meus braços tudo a volta se faz ínfimo,
Não existe nada em nosso gostar que possa nos abalar,
Meu sentimento é tão forte, real e palpável;

Quando estou contigo em meus braços tudo a volta se faz ínfimo,
Não precisamos de palavras, basta-nos ‘olhar no olhar’,
Sabemos que a vida e o destino são cúmplices de nossa felicidade.












Alguns minutos, uma eternidade...
Celso Gabriel de Toledo e Silva – CeGaToSí®
Poeta de Luz® - Arquiteto de Almas®
Poeta dos Sentimentos®
Concebida em: 25/maio/2014 


Vimo-nos, quis o destino, ontem tão próximos,
Até nos permitimos a sutis toques,
Quantas emoções e sentimentos,
Quantas sensações quis eu libertar;

A vida naquele minuto me fez ser um ser frio,
Não podia mais uma vez declarar o que sentia,
Sabia que não haveria a reciprocidade,
O viver já me mostrou que não é possível o nosso amar;

Vimo-nos, quis o destino, ontem tão próximos,
Contudo coube-me permanecer em solidão,
Senti-me na além d’uma pessoa estranha,
Eu em meu canto, você sorrindo ao lado de alguém;

A vida naquele minuto me fez ser um ser frio,
Contive desejos, carícias, até lágrimas,
Estilhacei meu cristal interior, mas não vistes os cacos,
Mantive em meus lábios um disfarçado sorrir;

Vimo-nos, quis o destino, ontem tão próximos,
Não caminhávamos juntos, nossas mãos não se uniam,
A vida naquele minuto me fez ser um ser frio,
Minha pele que sempre almejou a tua pele sofria silenciosa;

Ficou-me nos olhos a dura realidade,
Aceitar o que não se pode mudar,
Chorar ou rir será sempre só, nunca ao teu lado,
‘Morri’ tão perto de ti, alguns minutos, uma eternidade...








Postagens populares