"Aqui se 'vive' e se 'respira' poesia... Faça parte deste espaço, siga-nos...

"Aqui se 'vive' e se 'respira' poesia... Faça parte deste espaço, siga-nos...

sexta-feira, 6 de junho de 2014

Espaço Divulgação 23 - [ Ronaldo Balbacch... Layla Francine Lima Barbosa... Padre Fábio Costa... Cláudio A. Broliani... Marcia Carriles... Luiz Fernando Nunes de Quadros Soares... Jaqueline Tavares... Carlos Massoco... ]





 
Espaço Divulgação

[ ... A poesia em ação... ]
[ ... Aqui você é bem recebido[a]... ]
 








Um amor distante!
Ronaldo Balbacch
São Paulo - SP



Ainda que eu esteja de ti distante...
Poderás sentir a minha presença
Em tudo que é belo e radiante
Na espera que este amor aconteça.

Ainda que eu esteja de ti distante...
Sinta a brisa que toca os teus cabelos
As rosas perfumadas de cor radiante
Estarei nos raios de sol dos dias belos.

Ainda que eu esteja de ti distante...
Eu não terei ido, estarei em teus pensamentos.
Acalentando os teus sonhos a cada instante
Para que você viva feliz, em belos momentos.

Ainda que eu esteja de ti distante...
Eu serei o acalento das tuas noites frias
A aquecer o teu coração delicadamente
Trazendo-te muita paz e muitas alegrias.

Ainda que eu esteja de ti distante...
Eu serei o teu abrigo, o porto seguro,
Que jamais estará da tua vida ausente.
Pois acredito que nosso amor floresça no futuro.

Ainda que eu esteja de ti distante...
O meu coração continuará em disparada
Pois me nutre a alma, este amor galopante...
Não deixarei o meu amor morrer... Ó minha amada!













Perfumes
Layla Francine Lima Barbosa
[ Layla Fran ]
Ponta Grossa - PR


Há vários tipos de perfumes:
Da alma,
Do corpo,
Da voz,
Do olhar,
Da música,
Do amor,
De um abraço,
Da saudade,
Da vontade,
Da ansiedade,
Do ódio,
Da chuva,
E misturando as fragrâncias tornam-se
Um perfume das lembranças,
Que ao fechar os olhos
É um cheiro efêmero!






 








Esperar
Padre Fábio Costa
Formiga - MG


Quando olhei a mesa vazia,
percebi que o "que foi dito" não fazia sentido.
Sua ausência era a certeza da ira
De quem não compreendeu, em momento algum, o grito.

Grito de uma alma aventureira,
que desejava sair da certeza;
certeza plantada em memória
antes nunca contestada às avessas.

Sentei-me por um instante.
Aguardei tua chegada em vão.
Ao ouvir uma voz tão distante...
agradeci ao "menu" aberto nas mãos.

"Espero alguém" disse em voz trêmula;
alguém que jamais virá, ou não.
Neste momento levantei-me
e percebi a ausência que respondia "a questão".

Não estava lá o que eu procurava,
nem no peito, autor da imaginação.
Nem mesmo sei onde estava
a cadeira que faltava
naquela mesa de emoção.






 






Prece em si
Cláudio A. Broliani
Curitiba - PR



Eis me aqui então somente, palhaço sem máscara,
despido das vestes, rosto sem tinta e sem graça.
Em permanente alegria que veste de riso e farsa,
a esconder latente tristeza sem razão aparente.
Mas, que encobre a dor que se faz permanente,
em morada efetiva de um peito que jaz carente.

Coração que trepida a lançar-se em queda livre,
deixando o chão fugir sobre os próprios pés,
desejo de tocar as nuvens, alçando-se aos céus.

No rosto o sopro de vento em toque lírico...
Infelizmente distante se faz o alcance.
Pois, são simples sonhos em asas de Ícaro!

Um lampejo de essência liberta,
me arremata à vontade a impulsionar.
Verdejante vereda florida, clareia com sombra e perfume,
ou na alva e clara areia com brisa de vida, de fronte ao mar.
As narinas preenchem-se com o aroma inebriante,
repletos de sonhos em poesias livres no ar...

Sendo essas estradas somente linhas,
são frases e versos em simples folhas
amassadas de frágil papel.
Que se perdem na imensidão escura
dos profundos olhos tons de céu.
Porém se tornam eternas quando,
são ditas em prece pelos lábios carmim...
da doce boca com sabor de mel!







 






Vagalume
Marcia Carriles
Niterói - RJ



Solidão arrastada e mais nada,
Então traga os cacos jogados,
De um espelho embaçado,
Que colado sei que me mostra,
O reflexo claro,
Da minha verdadeira face,

E percebo então,
O que realmente importa,
E chego em mim mesmo,
Um mergulho tão intenso,
Que disseca por dentro,
Pra poder ter de volta,
O abundante sentimento,
Que ressurge e transborda,
E devemos sempre aprender,
A se amar primeiro,

E que importa o mundo,
Que gira lá fora apressado,
E os estilhaços passados,
Foram todos jogados no lixo,
E ainda que tranquem as portas,
Eu fico longe do medo,
Pois carrego o mais genuíno afeto,
De uma trajetória percorrida,
E ainda que seja de fato deixado,
Separado num canto sozinho,
Com os poros aberto transpiro agora,
A mais plena alegria,
Como um vagalume que ascende,
Uma luz própria que se espalha,
E preenche totalmente,
Qualquer tipo de espaço vazio.






 






Noite fria
Luiz Fernando Nunes de Quadros Soares
[ Nando Soares ]
Osasco - SP

Noite fria,
Encerre o meu dia
Confine-me em seu abraço
Noite vazia,
Dona da minha solidão
Em meu quarto sou seu refém
Noite vazia,
Encerre meu dia
Espero pelo amanhecer
Ansioso para o conhecer,
Passando por mais uma noite de solidão.








 







Meu coração...
Jaqueline Tavares
Teresina - PI



Meu pobre coração,
Vive em uma casinha isolada.
No meio do nada.
E lá ele chora sem parar.
Buscando alguém pra lhe acalmar.









 






Poetas sofrem demais
Carlos Massoco
Itu - SP



Poetas sofrem demais,
Porque sentem demais
E, por isso, estão sempre poetando.
Mas ele não é um miserável nesta vida...
Miserável é aquele que sofre demais,
Sente demais
E não sabe poetar.
O poeta é um santo sem religião;
Ele não quer se religar a nada,
Apenas medir a imensidão
De seu coração,
Palmo a palmo,
Sem deixar digitais.
Trabalhar com o que traz no peito,
Fazer o inventário de tudo
Que viveu, vive, viu e vê.
E sente, guarda, esconde e abre
Como um leque chinês
Que lhe traz ar,
Que lhe faz vento,
Que lhe refresca
A face corada de vergonha.
O sopro vital que lhe dá forças
Para continuar poetando
E ensinando que o corpo
É miséria que nada sabe
E a alma é chama que o consome.
Poetas colocam orquídeas
Nas árvores do seu caminho.






 




Postagens populares