"Aqui se 'vive' e se 'respira' poesia... Faça parte deste espaço, siga-nos...

"Aqui se 'vive' e se 'respira' poesia... Faça parte deste espaço, siga-nos...

sexta-feira, 24 de outubro de 2014

Boletim 115 - [ 'Viciados' tecnológicos... Amargo esperar... Na segurança dos teus braços... Sublime água, fonte da vida... Meu Brasil... ]
















‘Viciados’ tecnológicos...
Celso Gabriel de Toledo e Silva – CeGaToSí®
Poeta de Luz® - Arquiteto de Almas®
Poeta dos Sentimentos®
Concebida em: Piracicaba, 22/outubro/2014



Estamos lentamente a perder num ir sem volta para esta batalha que se faz silenciosa,
Esvai-se de nossas mãos o frágil e delicado controle que quase não temos,
Sofremos e sofrem com isto nossos filhos, também os filhos de tantos outros,
Sofrem nossos netos, os netos de conhecidos, o que dizer então das pessoas não próximas;

Estamos lentamente a perder num ir sem volta para esta batalha que se faz silenciosa,
Parece cegar aos olhos da razão, consumir aos pensamentos, cerceia a introspecção,
Parece consumir ao raciocínio lógico, aprisiona-se num mundo fictício e cruel,
Um vício quase incontrolável que não fere na pele física, mas consome no âmago d’alma;

Não se faz tal como droga ilícita, mas certamente encarcera num doentio prazer,
Rouba-nos tudo, deste a infância, até mesmo a velhice que nos foge dos dedos,
Onde estarão às palavras, os afetos, as carícias, o verdadeiro calor que deveria ser humano?
Onde estará à permissão coerente entre o uso e o abuso, esqueceu-se dos limites;

Não se faz tal como droga ilícita, mas certamente encarcera num doentio prazer,
Muitos dirão, mas que mal há nisto, oferta tanta diversão, tantas alegrias,
Direi então, oferta tudo o que não é real, o que não é palpável, desconstrói,
Nossos filhos e tantos outros não brincam mais, que felicidade esperar;

Estamos lentamente a perder para esta batalha que se faz silenciosa,
Não se faz como droga ilícita, mas certamente encarcera num doente prazer,
É preciso discernir, ajudar enquanto ainda há tempo, são vidas em jogo,
Retira indistintamente os bens mais verdadeiros a liberdade e prazer do viver.






 







Amargo esperar...
Celso Gabriel de Toledo e Silva – CeGaToSí®
Poeta de Luz® - Arquiteto de Almas®
Poeta dos Sentimentos®
Concebida em: Piracicaba, 22/outubro/2014



Estivestes tão próximo de estar ao meu lado, que confesso, pensei sonhar,
O tempo parecia não ter fim, a espera por si se fez uma agonia,
O que mais desejava estava por acontecer, sentir o calor da sua pele,
A maciez da tua face junto a minha, olhar-te sem pressa, olho no olho;

Estivestes tão próximo de estar ao meu lado, que confesso, pensei sonhar,
Dominava-me a euforia, a expectativa, meus pensamentos, os quais me traiam,
Emoções e desejos ora em lucidez, ora em absoluta loucura, absurdo aguardar,
Descompassou-me o pulsar, abandonou-me a razão, muito mais o discernir;

Seria para nós uma bela surpresa, muito mais para você, pois eu já sabia,
Fiquei a pensar qual seria a sua reação, tamanha seria o brilhar dos seus olhos,
A alegria que certamente seria mútua, pura felicidade, repleta de paz;

Seria para nós uma bela surpresa, muito mais para você, pois eu já sabia,
Contudo quis o destino brincar, sutilmente ferir-me n’alma com lágrimas,
Impediu-nos de estarmos no mesmo caminho e compartilharmos do mesmo gostar.













Na segurança dos teus braços...
Celso Gabriel de Toledo e Silva - CeGaToSí®
Poeta de Luz® - Arquiteto de Almas®
Poeta dos Sentimentos®
Concebida em: Piracicaba, 16/outubro/2014



Nesta tarde em que finda o dia és sem dúvida o meu mais mais doce conforto,
Em surpresa e com tal gentileza buscastes pela poesia por me presentear,
Compartilhastes em euforia versos de explícito e sublime amor e desejos...
Emoções e sentimentos que a muito em mim clamam por esperança;

Estar contigo, muito mais estar em ti, mesmo que na distancia é-me um privilégio,
Faz-se por absorver-me de tal maneira a felicidade que meus olhos riem e riem,
Viaja assim os pensamentos na busca deste horizonte que sei me acolherá,
E que certo e convicto sou de que lá estarás de braços abertos a me aguardar;

Nesta tarde em que finda o dia és sem dúvida o meu mais doce conforto,
Fostes para meu ser a Luz que me resgatou e que tanto acreditava ter me abandonado,
Ofertou-me sem nada eu pedir a mão amiga, o olhar puro e sincero, a paz que renasce,
Trouxestes a vida que antes habitava em mim, mas inerte e sem sentido algum;

Estar contigo, muito mais estar em ti, mesmo que na distancia é-me um privilégio,
Descansar na segurança dos teus braços, neste porto seguro, na maciez da tua pele,
Não há o que pague esta experiência corporal, esta troca mútua de energias,
Faz-me entender o gozo do amor, quanto doce pode ser a realidade de se estar a dois.













Sublime água, fonte da vida...
Celso Gabriel de Toledo e Silva – CeGaToSí®
Poeta de Luz® - Arquiteto de Almas®
Poeta dos Sentimentos®
Concebida em: Piracicaba, 16/outubro/2014



Entre as pedras as quais aparentam estar esquecidas ‘nasce’ à fonte da vida...
Um filete d'água, límpido e puro o qual o ‘pai’ solo em êxtase liberta,
Oferta-lhe de imediato um caminho a seguir, mesmo que tortuoso,
Um caminhar tal qual ao do ser humano, apenas de ida rumo ao desconhecido;

Entre as pedras as quais aparentam estar esquecidas ‘nasce’ à fonte da vida...
Na permissão do seguir até o seu derradeiro lugar leva consigo a chance do renascer,
Umedece ao chão por onde passa, ‘alimenta’ a relva, as árvores e aos pássaros,
Compartilha da esperança dos animais pela sede saciada e mais um dia vivido;

Com o ‘passar’ do tempo estará distante do seu aconchego e da sua segurança,
Enfrentará certamente adversidades, como cabe a nós mortais na busca maturidade,
Haverá para este fio d’água um destino, um riacho ser, quem sabe um caudaloso rio,
Desaguar suas águas doces em alforria no sal das águas do mais imponente oceano;

Com o ‘passar’ do tempo estará distante do seu aconchego e da sua segurança,
Findar-se-á como tudo o que é mortal e passageiro neste tempo de expiação terrena,
Terá certamente cumprido o seu papel na natureza, como nós neste Planeta,
Contudo renascerá, não importa quando, mesmo que novamente seja entre as pedras.













Meu Brasil...
Celso Gabriel de Toledo e Silva – CeGaToSí®
Poeta de Luz® - Arquiteto de Almas®
Poeta dos Sentimentos®
Concebida em: Piracicaba, 13/outubro/2014



‘Liberta-se’ com vigor a esperança de um novo tempo o qual já se faz palpável,
A razão como tal se faz expressar com mais discernimento na mente das pessoas,
Um sentimento, um brado de vitória pela justiça, pela responsabilidade se ‘levanta’,
Os ideais ‘clamam’ e se unem por um fim único e certo, dignidade e respeito;

‘Liberta-se’ com vigor a esperança de um novo tempo o qual já se faz palpável,
Aproxima-se a hora da derradeira escolha, a decisão que trará o equilíbrio,
O tempo da transformação real que culminará com o bem geral e irrestrito,
A perseverança da democracia que permitirá a união das pessoas, do País;

 Renasce plena a confiança, o patriotismo, o civismo e o amor às cores da Pátria,
Tremula altiva e radiante a nossa bandeira, exibe com galhardia as suas cores,
O verde exuberante de nossas matas, o azul do nosso céu de tranquilidade,
O amarelo da primavera destaque em muitas flores, sobretudo o branco da paz;

Renasce plena a confiança, o patriotismo, o civismo e o amor às cores da Pátria,
Compartilha-se e se faz acessível à sensação do dever a cumprir, da honestidade,
Contagia-nos a abraçar, mesmo que imaginário seja em cada canto desse solo abençoado;
Consolidar em nós a convicção e orgulho ao dizer com prazer, este é o meu Brasil.










Postagens populares