"Aqui se 'vive' e se 'respira' poesia... Faça parte deste espaço, siga-nos...

"Aqui se 'vive' e se 'respira' poesia... Faça parte deste espaço, siga-nos...

sábado, 19 de julho de 2014

Boletim 103 - [ Acredite nas minhas palavras... O que estamos fazendo do nosso viver? Momentos de felicidade... Não me culpe... ]





                                                  






Acredite nas minhas palavras...
Celso Gabriel de Toledo e Silva – CeGaToSí®
Poeta de Luz® - Arquiteto de Almas®
Poeta dos Sentimentos®
Concebida em: 08/julho/2014


Acredite, sempre haverá algumas palavras que eu desejarei dizer,
Contudo eu sei que a emoção se fará tão forte que ‘elas’ se farão por calar,
Mas sei eu que consigo que se libertem através das minhas lágrimas,
Digo-lhe, não pense que serão apenas de tristeza, serão muito mais de alegria;

Acredite, sempre haverá algumas palavras que eu desejarei dizer,
Fazem-se tão rápidas as quais pareço perdê-las, me escapam dos lábios,
Ficam sim a ‘sussurrar’ em meus ouvidos como canção que não quer parar,
Assim timidamente vão surgindo, ‘ganhando’ vida e se fazendo presentes;

Hoje há noites, confesso meu amor que nada mais faço do que pensar em ti,
Gire o mundo quanto for preciso meu gostar se fará presente no ‘teu’,
Hoje não vivo mais na solidão, presenteou-me o destino a tua companhia,
Produziu em mim a felicidade do sorrir, o sentir do prazer vivido a dois;

Hoje há noites, confesso meu amor que nada mais faço do que pensar em ti,
Minha pele aprendeu a respirar o sabor da tua pele, ser parte dos teus sentimentos,
Meus passos não são perdidos no vazio, há a luz dos teus olhos a minha espera,
Há com certeza os teus carinhos que se fazem recíprocos, comunhão de ideias;

Acredite, sempre haverá algumas palavras que eu desejarei dizer,
Hoje há noites, confesso meu amor que nada mais faço do que pensar em ti,
És a benção concebida, somos pureza de pensamentos, somos perfeita simbiose,
Somos o amor que se faz palpável, verdadeiro e transparente, somos poesia viva.






                                                 







O que estamos fazendo do nosso viver?
Celso Gabriel de Toledo e Silva - CeGaToSí®
Poeta de Luz® - Arquiteto de Almas®
Poeta dos Sentimentos®
Concebida em: 04/julho/2014 


 A falta da Fé nos ‘cega’ e esquecemos com facilidade o que somos,
Somos frágeis, ‘concebidos’ a carne e ossos, feito de matéria que envelhece,
Somos vulneráveis, providos apenas d’uma pele que tudo necessita,
Somos humanos, temporários, passageiros de instantes;

A falta da Fé nos ‘cega’ e esquecemos com facilidade o que somos,
Nascemos num planeta de mistérios, homem ou mulher da permissão de outros,
Por vezes gerados do amor puro e sincero, como continuidade da espécie,
Outras vezes do amor dor, do estupro, até como salvação alheia;

Nascemos despreparados de tudo, da própria vida que se ‘ganha’,
Temos uma existência finita para aprender, crescer e compreender,
Contudo cada vez mais menos os significados são entendidos,
Assim caminhamos para o fim em total desentendimento;

Nascemos despreparados de tudo, da própria vida que se ‘ganha’,
Evoluímos através da tecnologia do próprio ser humano que nos engana a mente,
Enfraquecemos com isto n’alma e no espírito, vivemos da superficialidade,
Esquecemos-nos da simplicidade, do respeito, do amor, sobretudo da paz e do perdão.






                                                  






Momentos de felicidade...
Celso Gabriel de Toledo e Silva – CeGaToSí®
Poeta de Luz® - Arquiteto de Almas®
Poeta dos Sentimentos®
Concebida em: 20/junho/2014


Viver é feito de momentos e prazeres, nunca deixe de acreditar...
Alegrias, risos, o reencontrar dos bons amigos e das amizades,
Felicidade compartilhada, traduzidas em incontáveis sensações,
Oportunidades que se fazem únicas, essenciais ao corpo físico;

Viver é feito de momentos e prazeres, nunca deixe de acreditar...
Um abraço carinhoso, sentimentos reais trocados e ofertados,
Olhares discretos, às vezes repletos de indiscrição, quem não os anseia,
Gestos faceiros, até calientes, envoltos na beleza da noite que seduz;

Momentos de boa música, a satisfação da paz de espírito,
Simplicidade d’alma, pureza de gestos, brilho nos olhos,
Libertar do corpo as dores, quem sabe se apaixonar;

Momentos de boa música, a satisfação da paz de espírito,
Alegrias, risos, o reencontrar dos bons amigos e das amizades,
Vida, experiências concebidas das descobertas, muito mais das permissões.






                                                  






Não me culpe...
Celso Gabriel de Toledo e Silva – CeGaToSí®
Poeta de Luz® - Arquiteto de Almas®
Poeta dos Sentimentos®
Concebida em: 17/junho/2014 


Alegra-me aos olhos, o que dizer de minh’alma contemplar o teu sorrir,
Presumir, depois crer apreciar o teu semblante tão calmo, sereno,
Imaginar como seria o som da tua voz em meus ouvidos,
Observar e desejar sentir a tranquilidade de teus gestos;

Alegra-me aos olhos, o que dizer de minh’alma contemplar o teu sorrir,
Sonhar com o teu corpo que com certeza nunca conhecerei,
Quem dera desvendar os teus mistérios, tua doçura, tua safadeza,
Ter-te em meus braços, ser-me dos teus braços, uma única vez que fosse;

Não me culpe se apenas lhe fantasio, não liberto meus desejos, falta-me a coragem,
Conheço-te por uma foto, contudo o medo me impede da real atitude,
Se erro consolo-me, serei apenas eu que carregarei o arrependimento;

Não me culpe se apenas lhe fantasio, não liberto meus desejos, falta-me a coragem,
Há escolhas que não se encontra explicação, devem acontecer depois findar,
Em minha solidão sou feliz por ter desejar, mesmo que em vão.






                                                  



Postagens populares