"Aqui se 'vive' e se 'respira' poesia... Faça parte deste espaço, siga-nos...

"Aqui se 'vive' e se 'respira' poesia... Faça parte deste espaço, siga-nos...

sábado, 28 de junho de 2014

Boletim 101 - [ Exuberante natureza... Forte paixão... O mundo que eu sonhei... Quando se está na beira do mar!.. Nunca desista... Natureza viva... ]














 


Exuberante Natureza...

Celso Gabriel de Toledo e Silva - CeGaToSí®
Poeta de Luz® - Arquiteto de Almas®
Poeta dos Sentimentos®
Concebida em: 10/junho/2014


Eis que me aproximo para d'água saciar-me,
Faço por nutrir-me da límpida dádiva da Terra,
Ao saciar-me levanto e vislumbra meus olhos,
Toda a exuberância da natureza a me presentear;

Esqueço-me da vida, esqueço-me de meu próprio corpo,
Por minutos faço parte de tudo que observo, simbiose,
Encanto-me emociono-me, liberto-me em lágrimas de emoção,
Contemplo a obra do Criador que gentilmente me oferta.







 






Forte paixão...
Celso Gabriel de Toledo e Silva – CeGaToSí®
Poeta de Luz® - Arquiteto de Almas®
Poeta dos Sentimentos®
Concebida em: 11/abril/2014


Habita em mim uma forte paixão que me faz sofrer por amor,
Consome-me ferozmente, levando-me aos limites da loucura,
Traz-me a lucidez por alguns minutos e depois lhe vem roubar,
Tortura-me em vil prazer com insistentes lembranças,
Embriaga-me com a saudade e me faz sucumbir em solidão;

Clamam meus olhos pela paz já tão perdida de meu corpo,
Permaneço preso num gostar que se faz maléfico, perverso,
Capturou de mim todas as emoções e sensações fazendo-me vazio,
Enclausurou-me num eterno abandono, além da minha compreensão,
Se não há em mim a razão para refletir como entender meu coração;

Habita em mim uma forte paixão que me faz sofrer por amor,
Fez-se por alojar em mim uma flecha certeira a qual não encontra retorno,
Aprendi a conviver, pois se retirada eu morro n’alma já tão frágil,
Trouxe consigo o calor do teu corpo, a maciez das tuas mãos,
Ensinou-me a se enfeitiçar pelos prazeres da tua pele na minha pele;

Clamam meus olhos pela paz já tão perdida de meu corpo,
Há momentos de plena consciência, mas não resisto mais as dores,
Faço-me um ser sem esperanças, iludido por mentiras,
Insisto em ‘alimentá-las’ como se isto me trouxesse de volta o passado,
Certamente chegarei a um fim, encontrarei um antídoto, ou o derradeiro veneno.












O mundo que eu sonhei...
Celso Gabriel de Toledo e Silva – CeGaToSí®
Poeta de Luz® - Arquiteto de Almas®
Poeta dos Sentimentos®
Concebida em: 05/junho/2014 


Quando na minha ingenuidade de criança sonhei com um mundo melhor,
Sonhei com um mundo sem violência, sem medo entre as pessoas,
Sonhei com noites calmas onde as pessoas eram felizes juntas,
Sonhei com a igualdade entre as pessoas, o respeito como essencial;

Quando na minha ingenuidade de criança sonhei com um mundo melhor,
Sonhei um mundo justo e de muita esperança para as pessoas honestas,
Sonhei com a fraternidade presente e atuante no coração do mundo,
Sonhei com o amor verdadeiro e sincero, a constante felicidade;

Acreditei que quando crescesse tudo seria real, palpável, inclusive a paz,
Pude depois de adulto ver a verdade dos sentimentos e de seus atos,
Meu mundo o qual sonhará ruiu-se em incontáveis pedaços;

Acreditei que quando crescesse tudo seria real, palpável, inclusive a paz,
‘Reside’ em meus olhos dores, tristeza, frieza, desumanidade, tantas lágrimas,
Mas consola-me o Criador, deu-me a incumbência da poesia para salvar o mundo...












Quando se está na beira do mar!...
Celso Gabriel de Toledo e Silva – CeGaToSí®
Poeta de Luz® - Arquiteto de Almas®
Poeta dos Sentimentos®
Concebida em: 02/junho/2014


Chega como se não quisesse nada o mar até aos meus pés,
Molha-me os dedos e vai, volta e molha-me até os tornozelos,
Não cansa no produzir da sua música, recua da mesma forma que veio,
‘Cantarola’ ora alto, ora bem suave na chegada e na partida;

Chega como se não quisesse nada o mar até aos meus pés,
Insiste comigo e atrai a minha atenção no seu ritmo sem fim,
Aproxima-se então de mim e no meu descuido me ‘beija’,
Para não ser enjoativo ao retornar trás consigo um novo canto;

Às vezes chega tão silencioso, como se fosse um ladino malandro,
Traz suas águas e me presenteia com ‘elas’, ora morna, ora fria,
Oferta à chance da vida que devolve se preciso a vida que já não pulsa;

Às vezes chega tão silencioso, como se fosse um ladino malandro,
Cria na mente sonhos e desejos, encanta aos olhos de quem lhe vê,
Enfeitiça sem que se perceba n’alma convidando a ‘nele’ se aventurar.












Nunca desista...
Celso Gabriel de Toledo e Silva - CeGaToSí®
Poeta de Luz® - Arquiteto de Almas®
Poeta dos Sentimentos®
Concebida em: 09/junho/2014


Nem tudo está perdido, há sempre uma esperança,
Encontrar-se-á na pior adversidade uma saída,
Não se deve desistir nunca da vida que pulsa,
O teu olhar pode ser de momento sem sentido,
Mas nunca deixe de acreditar e jamais perca a Fé...












Natureza viva...
Celso Gabriel de Toledo e Silva – CeGaToSí®
Poeta de Luz® - Arquiteto de Almas®
Poeta dos Sentimentos®
Concebida em: 15/junho/2014


Brinda-nos o Criador com a sua bondade infinita,
Oferta-nos a água que sacia a sede e 'alimenta' a natureza,
Compartilha conosco a luz do astro rei que nos aquece e gera a vida no planeta,
Dá-nos em dádiva a benção da visão e o ouvir dos sons para apreciar o mundo,
Se não bastasse escolhe alguns de seu rebanho para dar-lhe o dom da pintura,
Assim eternizar suas obras para que todas as pessoas contemplem.










Postagens populares