"Aqui se 'vive' e se 'respira' poesia... Faça parte deste espaço, siga-nos...

"Aqui se 'vive' e se 'respira' poesia... Faça parte deste espaço, siga-nos...

sábado, 28 de setembro de 2013

Espaço Homenagem Viva: [ Izabella Pavesi... ]






Homenagem Viva










Efêmeros amores
Izabella Pavesi
Florianópolis - SC


Alguns amores são fugazes
Envolventes chegam...
E logo, furtivo, vão-se...

Com férvidos beijos
E ardentes carícias,
Arrancam-nos do chão...

Em chamuscantes olhares
E sussurros arrepiantes,
Com ímpeto nos desnudam...

Em envolventes lençóis,
Num encaixe anatômico,
Um enlaçamento ardoroso.

Mas,... num mero desfolhar,
Num leve piscar de olhos,
Mais uma página é virada...

São efêmeros, suaves brisas!
Paixões passageiras transitando
Entre o anoitecer e o amanhecer.













Paisagens Urbanas
Izabella Pavesi
Florianópolis - SC


Um monumento, em pedra
Um desafio, em mármore
Uma ponte, um cartão
Um paredão, de solidão.

Aviões invadem os céus
O espaço e os sentidos
Acrobáticos desenham curvas
E avançam, cortando nuvens.

Uma lembrança de outono
Chuva e folhas na varanda
Mesa e cadeiras nas calçadas
E o povaréu na estação.

Inspire, respire o ar
A luz, o sol, o sabor
O cheiro dos ipês
Verdes, amarelos e roxos.

Deslize seus dedos nos fones
Viaje navegue nos micros
Se ligue, conecte-se no espaço
Nos satélites, nas redes internets.

Na paisagem urbana
O gozo exposto
Coxas, umbigos e seios
Em eróticos cinemas.

No topo dos aranha-céus, cartazes
Intermitentes luzes piscam em néon
Letreiros incutem e instalam flashes
Imagens nos olhos e neurônios.

Excessos de apelos, chamados
Insucessos de gente exauridos
Sem chances, sem portas, sem ação
A procura constante de realização.

Na parede concreto, navalha em riste
Carros blindados, vidros fechados
Pueril quimera, pífios ganhos
Globalização, aflição e caos.

O retirante na cidade grande
A modelo na vitrine exposta
O estudante com o canudo enfeitando
A parede da casa esfacelada.

E os planos? E a enciclopédia?
Na cabeça do sábio professor
Sem emprego, esquecido, sem amor?
Seus livros, empoeirados na estante?

Tevês piscam o plim plim da hora
Imagens, festas, ira, explosão
Perenes, como dizia o ator
Tudo passa feito avião.

Velhinhas jogam seu bingo
Velhinhos, seu jogo de botão
Bebês enjaulados brincam no portão
Amassados nos ônibus, estudantes vão.

Na grande metrópole, a busca
O emprego, a entrevista, a fama
O namoro, o enlace alcançar
Eterno desejo de tudo se concretizar!











Por você
Izabella Pavesi
Florianópolis - SC

 

Meu corpo anseia
por você,
Pelo seu toque,
Pelo seu beijo ardente.

Que alegria fugaz
me causas...
Que vertigens provocas em mim.
incogitável te perder!

Uma névoa de fagulhas cintila,
Quando roças em meus pelos,
amando-me,
Saciando nossos desejos.

Um passeio interplanetário!
Arrasto sedas pelo chão...
Com os dedos trêmulos de emoção,
Na luz tênue do alvorecer.










O ciúme
[esse monstro de olhos verdes]
Izabella Pavesi
Florianópolis - SC


Desce meu manto diáfano por terra
Diante desse monstro de olhos verdes,
Que me persegue e devora: o ciúme de ti.

Meu olhar, vagamente furtivo, pisca.
Ergo a fronte trêmula a tua frente, e,
Numa borbulhante taça, destilo meu querer.

Dissimulada, toda me envolvo,
O alarme de não ser única dispara,
E, num gingado pérfido te seduzo.

Ah! O ciúme, essa traça deselegante,
Essa pequenez invasiva, paralisante,
Quer a posse absoluta de tua mente.

Ah! Esse destino de olhares vigilantes,
Este sentimento perturbador efervescente,
Dele me afasto, antes que meu ego pereça!











Amor
Izabella Pavesi
Florianópolis - SC


Meu coração pulula, acelerado e
Solto. O amor surgiu! Formosura.
De mansinho, achegou-se, loucura,
Com passos miudinhos e beijos à beça.

Uma sonora alegre voz, aveludada,
Preencheu todo o espaço, alegrou
Todo meu ego e meu ser vaporoso.
Minha alma voa, estrela luminosa.

Como beija-flor sorvendo néctares,
Sinto a vida pulsando multicolorida,
Brilhos e afagos... me acolhe, teu abraço.
Teu beijo me acalanta, meu tesouro.

Reteso este pulsar e, saltitante,
Revejo teu olhar faiscante.
Pra que ensaiar, decodificar,
Percepções, razões, sensações?...

Se a felicidade, o bem maior,
Que vale a pena viver e se perder,
É somente amar e ser amada.
É amar você, e para você viver!











Duas taças de vinho
Izabella Pavesi
Florianópolis - SC


Em minha taça, tua sombra dança.
Vinhos, gotas preciosas delirantes.
Nossas bocas sedentas salivantes
Celebram a vida, a noite, o prazer.

Do sumo da uva em cacho, néctares,
Doces essências se elevam em névoas,
Baco, em malicioso olhar, fita-nos... e,
Em estridentes risos, brindamos: cheers!

Ao tilintar, pupilas se dilatam frágeis,
Lânguido olhar vagueia, um tanto baço,
Entrededos, tamborilam depois ávidos.

Nossa luxúria, em corpos, destila excessos.
Transcendo este dia em jorros de alegria.
Entrecruzam-se fetiche, fantasia e paixão.












Reflexo
Izabella Pavesi
Florianópolis - SC


No espelho d'água, meu reflexo flutua...
A coragem esculpindo liberdade.
Inseridos, os destroços de mim
E uns instigantes raios de luz.






Postagens populares