"Aqui se 'vive' e se 'respira' poesia... Faça parte deste espaço, siga-nos...

"Aqui se 'vive' e se 'respira' poesia... Faça parte deste espaço, siga-nos...

sexta-feira, 26 de abril de 2013

Espaço Homenagem Viva: [Clélia Izabel Villaça Felet... ]








Homenagem Viva







Segredo...
Clélia Izabel Villaça Felet
[Jolaine Justed]
Laranjal Paulista - SP

Todo mundo sabe que eu sou tão feliz,
Que esta minha alegria, que mostro a todo instante,
É muito verdadeira, nem fugaz, nem passageira,
E é real essa ventura tão constante!

Sorrio para todos, um sorrir contagiante,
Faço das brincadeiras, meu lema, meu lazer...
Prá que chorar, se esta vida é tão bonita?
Por que sofrer, se amo tanto o meu viver?

Só Deus sabe o que eu sinto realmente,
A dor cruel, que está dentro do meu peito...
Sabe também das noites mal dormidas,
Do pranto incontrolável que derramo no meu leito!

Por que fingir então, tanta felicidade?
Por que sempre mostrar no rosto esse sorriso?
Se eu tenho esse punhal cravado no meu peito,
Por que mentir, então, que eu nada preciso?

É receio, talvez, de que todos descubram
Esse segredo triste que eu trago escondido...
Ninguém pode saber o quanto sofro e choro
Por esse grande amor, que jamais será vivido!





Percepções...
Clélia Izabel Villaça Felet
[Jolaine Justed]
Laranjal Paulista - SP

Pegadas na areia...
Um sol iluminando o vermelho do céu!
No azul do rio, a calma, a paz!
Que linda é a natureza...
Que presente magnífico de formas e cores!
Pensar, quantas vezes passa desapercebido...



 

Realce...
Clélia Izabel Villaça Felet
[Jolaine Justed]
Laranjal Paulista - SP

As flores realçam,
No verde das plantas
E no brilho do Sol!






Oferta divina...
Clélia Izabel Villaça Felet
[Jolaine Justed]
Laranjal Paulista - SP

O riacho 'corre' lento e descuidado,
Envolvido em flores e ramagens...
Linda obra de Deus"





 

Adeus...
Clélia Izabel Villaça Felet
[Jolaine Justed]
Laranjal Paulista - SP

Você olhou para mim e nada disse...
Nem sequer notou o meu olhar tão triste,
a emoção incontida da paixão ardente,
que apenas uma vez na vida a gente sente!

E você se foi, sem nem olhar prá trás.
Sem sequer perceber, que eu o amava demais...
Em meu peito restou essa tristeza enorme,
a solidão cruel e a dor que me consome!

Sua ausência deixou os meus braços vazios
e sem o seu calor, meus lábios são tão frios...
As horas vão passando em plena lentidão
e eu sinto endoidecer esse meu coração;

Por que tudo acabou, assim, tão tristemente?
Por que o destino quis ser cruel com a gente?

Foi nesse adeus tão triste, sem mesmo despedida,
que você... Simplesmente... Saiu da minha vida.!




Postagens populares