"Aqui se 'vive' e se 'respira' poesia... Faça parte deste espaço, siga-nos...

"Aqui se 'vive' e se 'respira' poesia... Faça parte deste espaço, siga-nos...

sexta-feira, 5 de outubro de 2012

[Boletim 62] - Família... Aceitar é preciso!... Páginas em branco...







Família...
Celso Gabriel de Toledo e Silva - CeGaToSí®
Poeta de Luz® - Arquiteto de Almas®
Poeta dos Sentimentos®
Concebida em: 30/setembro/2001
Família...
Pertencer ou não,
Eis a questão,
Eis a dúvida!
Viver só...
Viver junto e não se desligar,
Encarar a vida?
Permanecer no colo?
Questionamentos...
Conflitos...
Ora soluções...
Ora impasses...
Porém tudo continua,
Bem ou mal é a família,
O esteio...
O alicerce...
A base...
Mesmo que não sólida;

Mesmo...
Com todos os porquês,
Feliz quem há tem...
Sempre terá um braço amigo,
Um sorriso de irmão,
Um sorriso de irmã,
Uma palavra de pai,
Um afago de mãe,
Uma briga aqui, outra acolá,
O calor humano constante,
A força para continuar,
À distância do marasmo,
Os finais de semana para o reencontro,
O socorro mesmo que tardio;

Conjunção de pessoas...
Amor,
Raiva,
Ódio,
Risos,
Lágrimas,
Alegrias,
Tristeza,
Calor,
Mescla de sentimentos,
Combinação de sensações,
Desejos e ações...
Por um bem comum,
Felicidade...




 

Aceitar é preciso!...
Celso Gabriel de Toledo e Silva - CeGaToSí®
Poeta de Luz® - Arquiteto de Almas®
Poeta dos Sentimentos®
Concebida em: 18/janeiro/2010
Exauri asfixiando n’alma a saudade,
Isto é o que me restou da separação,
Esperanças em vão, um aguardar inútil,
Luto por acordar deste pesadelo dia a dia real;

Metade minha já está morta e bem enterrada,
Metade ainda agoniza a espera do mesmo fim,
Não perecerá com certeza o corpo físico, este é forte,
Fraco mesmo é o coração depois da tua atitude;

Restarão lembranças d’uma realidade que se fez pó,
Verdades destruídas pela distancia e pelo tempo,
Sentimentos que nem o gostar sincero suportou,
Sobrou a impotência diante da escolha d’outro;

Marcas diárias, contudo espero eu temporárias,
Expressas através das lágrimas, também do desalento,
Não exijo nada, apenas preciso de paz de espírito,
A vida é um constante recomeçar, agora eu compreendo.





Páginas em branco...
Celso Gabriel de Toledo e Silva - CeGaToSí®
Poeta de Luz® - Arquiteto de Almas®
Poeta dos Sentimentos®
Concebida em: 12/junho/2010
Ainda há em mim um sentimento de saudade sem proporção,
Um desejo que espera noite após noite o teu retornar para ser contido,
Uma necessidade quase doentia do som da tua voz em meus ouvidos,
Aplacar meus olhos que buscam no vazio tua silhueta que só eu conheço;

Não suporto mais relembrar apenas aquele abraço e nada mais acontecer,
Ter-lhe tão palpável e ao mesmo tempo tão perdido na distancia de nossos atos,
Ver-te ali me dizendo, acompanha-me e eu pensando em segredo, venha comigo...
Contudo cada qual preferiu um caminho diferente, um ao norte, outro ao sul;

Morremos em nossas fantasias e risos que se esvaíram no silencio e na partida,
Amarga-me a solidão que como lenitivo me conduz paulatinamente a loucura,
Misericórdia é o que mais busco, porém não encontro o eco ao meu pedido,
Sei que não há o que perdoar, pois nada iniciamos, ficou-se no medo e na insegurança;

O que mais me fere hoje é a marca da lágrima que de meus olhos se liberta,
Saber que nossos livros são páginas em branco, nem início, nem meio, tão pouco final,
Uma felicidade perdida em instantes de egoísmo, por minha atitude, por tua ação,
Corações repletos de ansiedade e arrependimento, sucumbidos por medo e por receio.




Postagens populares