"Aqui se 'vive' e se 'respira' poesia... Faça parte deste espaço, siga-nos...

"Aqui se 'vive' e se 'respira' poesia... Faça parte deste espaço, siga-nos...

sexta-feira, 27 de julho de 2012

Espaço Homenagem Viva... [Berenice Noronha Martins...]



Homenagem Viva


Me leva
Berenice Noronha Martins
[Bere_Nice]
Santo André - SP


O brilho atrai e seduz
Chama em sua direção
Como a mariposa e a luz
Inebriada e sem noção.

O mistério não amedronta
O perigo inexiste na mente
A chama do novo desponta
Alegrias em repentes.

Me leva, pega minha mão
Quero o novo, quero aventuras
As venturas da ilusão
No enlace da tua doçura.



Jardim
Berenice Noronha Martins
[Bere_Nice]
Santo André - SP


Verde onde colore o espaço,
rosas, pétalas e pingos de ouro
acolhem o olhar vagabundo
distraído, sem pressa
que tranqüilo, atravessa
entre árvores e o arco
de negro, vira-mundo!
Sorvendo a paz,
que em tudo transpira,
entrelaça abraços,
segue o voar do besouro
que faz e desfaz elipses abstratas
de verdes esperançares
A silvestre bailarina
no rodopio sem fim,
mostra mil possibilidades,
pois tantos sãos os mares,
pra navegar num jardim!



Ausência de nós
Berenice Noronha Martins
[Bere_Nice]
Santo André - SP


Apego-me à lembrança do que éramos
Tão ligados e enamorados fomos
O pranto da saudade pingou
Lágrimas no chão, espalhou...

Eu, agora, em folha renasço
Tu, inerte, branco, jaz...
Sem desespero, me entrelaço,
Sou raiz galgando a paz face a face.

Por toda a parte me vejo aqui
Ausência de nós aos olhos, tardia.
Não há demora na busco que faço
Somos um só, presença de nós: magia!



Limitação Humana
Berenice Noronha Martins
[Bere_Nice]
Santo André - SP


A incerteza,
O talvez,
O medo de ter
Ganhar e perder
A volta sem ir
O adeus que não existiu!

O tempo se encolheu
A insatisfação emudeceu
O grito irreverente
Na voz estridente
Apagada na saudade
Que sinto de mim!

A busca da força
Pro chegar
Não ter a partida.
Sem limites
Para te amar
Desumana saída!



Revoando
Berenice Noronha Martins
[Bere_Nice]
Santo André - SP


Nuvens povoam a oficina
Do pensamento, minha morada,
Chuva cristal
Vital promessa
De um novo dia
Na clara manhã.

Minha esperança de invenção
Acorda o som, a cor invernal.
Cinza é o tom
Chegada sem pressa
O dia se faz
Em verde hortelã.

Rubro é o amor a me cobrir
Palavras revoam num doce cumprir
Sol escondido
Nuvens edredons
Alada manhã
Você é o dom!



Estranhos
Berenice Noronha Martins
[Bere_Nice]
Santo André - SP


Tempo incerto de estadas incomuns
Minha chegada, tua partida
Nosso jeito de ser em horizontes perdidos
Dentro de mim, um amor
Tu, impassível, à espera do que?
Invisível aos teus olhos
Não sei o quê sou.

Tua presença
Logo ali, se faz tão distante.
Olho à frente à tua procura,
Viajo indeciso não muito longe
Te sinto presente, visível em mim
Sou emoção sem razão
Refazendo minha ilusão.

Estranhos se encontram assim
Casual, sem nada ver,
Pensar para quê?
Mergulhar no imprevisível
Sem medos, sem amarras,
Ousar múltiplos conheceres
Do meu Uni_Verso sem fim!


Postagens populares