"Aqui se 'vive' e se 'respira' poesia... Faça parte deste espaço, siga-nos...

"Aqui se 'vive' e se 'respira' poesia... Faça parte deste espaço, siga-nos...

sábado, 21 de janeiro de 2012

[Boletim 44] - Nada é como você... Choro e Amizade... Paz Interior... Desejo Amor...

Nada é como você...
Celso Gabriel de Toledo e Silva  - CeGaToSi®
Poeta de Luz® - Arquiteto de Almas®
Concebida em: 26/julho/2002 
Esta insegurança que me atormenta...
O desejo pela tua presença ao meu lado,
Poder olhar em teus olhos e me sentir em paz,
Ouvir de teus lábios este sorrir doce e ingênuo;

Não consigo mais ficar apenas imaginando,
Sei, porém que esta realidade nunca acontecerá,
Nossos caminhos não são os mesmos,
A maneira que me olhas é diferente da minha;

Fico criando expectativas para esta situação,
Situação esta que sei, nunca existirá,
Vivo desejos e sonhos sem concretização,
Fantasias que sempre esperarei realizar;

Onde encontrarei consolo!
Enquanto os raios do sol brilham, confesso esquecer,
Quando a noite chega e se revela,
Não encontro um abrigo seguro;

Meus pensamentos só refletem a tua imagem,
Pense o que for, você faz parte do que idealizo,
Desejo compartilhar com você este momento,
Mesmo ciente desta impossibilidade, insisto;

Quero apenas ser feliz, será que é pedir muito,
Usufruir os presentes ofertados pela vida,
Ter a sensação de estar ao seu lado mesmo quando distante,
Sentir o toque de tuas mãos em meus cabelos;

Saber o quanto somos importantes,
Cúmplices do mesmo gostar,
Realizados pelo prazer do contato físico,
Nos momentos de amor sermos um único ser;

Poder sorrir para você e ver este sorrir meus olhos encantar,
Poder chorar com você e confortar o teu choro com meu olhar,
Abraçarmo-nos num silêncio sem igual,
Esquecermos da vida num beijo de amor...


Choro e Amizade...
Celso Gabriel de Toledo e Silva  - CeGaToSi®
Poeta de Luz® - Arquiteto de Almas®
Concebida em: 27/dezembro/2002 

Perdão por meu choro,
Mas perto de você me liberto,
Não tenho vergonha das lágrimas,
Sei que entende e me respeita;

Perdão por meu choro,
És meu grande amigo,
Compreende as minhas palavras,
Conhece-me nas entrelinhas;

Oferta-me o silêncio da voz,
Ouve-me e me acolhe com carinho,
Fortaleço-me da sua energia,
Reencontro-me na sua singeleza;

Oferta-me o silêncio da voz,
Recupero a paz d’alma,
Sei que me tens em pensamento,
Somos abençoados pela amizade e por Deus.


Paz Interior...
Celso Gabriel de Toledo e Silva - CeGaToSi®
Poeta de Luz® - Arquiteto de Almas®
Concebida em:  29/setembro/2004
Quantas vezes nos deparamos com questionamentos,
Duvidas que insistem em permanecer querendo resposta,
Forçando-nos a busca-la nos lugares mais improváveis,
Sendo que a solução está em nós mesmos;

Na busca de uma dessas explicações para uma única pergunta,
Procurei pelo diabo indagando-lhe, o qual não soube me responder,
Disse-me que não conhecia tal sensação, seria inútil esperar dele algo,
Que procurasse por alguém muito simples, quase puro, com ele eu encontraria a resposta;

Sendo assim perguntei a um monge...
Acreditando ser ele esta pessoa muito simples que me daria à resposta,
Disse-me com franqueza que já ouvira falar, mas não saberia explicar,
Pediu-me que procurasse alguém sábio, com ele encontraria o que busco,
Com esta pessoa minha dúvida acabaria;

Dirigi-me então ao ser mais sábio na face desta terra,
Por um longo tempo permaneceu em total silêncio,
Quando acreditava já ter escolhido a pessoa errada,
Pediu-me perdão e disse-me que entendia a minha aflição,
Mas que não sabia se expressar sobre os sentimentos;

Quase acreditando que não obteria solução aos meus questionamentos,
Ajoelhei-me diante de sua imagem e me pus a conversar com Deus...
Clamei pela explicação que me afligia n’alma,
Parecendo que me olhava com serenidade senti calmamente me dizer:
A paz que busca já nasceste dentro de ti,
precisas aprender a cultivá-la para colher bons frutos.



Desejo Amor...
Celso Gabriel de Toledo e Silva - CeGaToSi®
Poeta de Luz® - Arquiteto de Almas®
Concebida em: 25/abril/2003
Na solidão das minhas noites eu sobrevivo,
Ora conseguindo encontrar o sono que me liberta,
Ora preso a este mundo real que me consome,
Pensamentos que se mesclam entre dor e alegria;

Busco compreender porque vivo tão só,
Onde em mim se esconde o sentimento gostar,
Porque as sensações não se manifestam,
Qual o bloqueio que me impede de conhecer o amar;

Onde se encontra a felicidade que tantos falam,
O sorriso que liberta através do corpo este desejo,
O brilho que os olhos anunciam quando se gosta de alguém,
A fórmula química que transforma os indivíduos;

Serei prisioneiro do destino...
Um ser proibido dos prazeres carnais,
Com tanta evolução que não os necessite,
Com tanta ignorância que não esteja preparado para vivenciá-los;

Continuarei na busca desta resposta,
Tenho até os últimos dias da minha vida para encontrá-la,
Porém rogo que não seja em vão existir,
Suplico provar deste prazer, mesmo que seja um instante;

Seja esta descoberta breve,
Seja esta descoberta duradoura,
Mas a chance de experienciar o amor,
Mesmo que resulte em perda e sofrimento;

Pois assim quando desta vida for liberto,
Terei na bagagem da memória
A historia do amor da minha vida,
Um tempo no qual fui feliz;

Convivi com alguém que me aceitou,
Ofertou carinho, respeito, companheirismo,
Encontrou em mim o que mais almejava,
O calor dos meus braços no silêncio da noite.


Postagens populares