"Aqui se 'vive' e se 'respira' poesia... Faça parte deste espaço, siga-nos...

"Aqui se 'vive' e se 'respira' poesia... Faça parte deste espaço, siga-nos...

sexta-feira, 19 de outubro de 2012

[Boletim 63] - Esqueceste de mim!... Baú de Emoções... Amar!...





Esqueceste de mim!...
Celso Gabriel de Toledo e Silva - CeGaToSí®
Poeta de Luz® - Arquiteto de Almas®
Poeta dos Sentimentos®
Concebida em: 20/setembro/2008

Esqueceste de mim!...
Sei que nunca mereci nada ao teu lado,
Um tocar, um afago, um beijo que fosse,
Nem uma simples foto de recordação;

Sempre ouvi de teus lábios a mesma desculpa,
Tenho medo que alguém possa descobrir,
Não sei qual será a reação das pessoas,
Na verdade nunca quisestes confessar a tua vergonha;

Não lhe culpo, nem tão pouco lhe julgo por isso,
Confesso que ficará sim a mágoa do teu receio,
Era mais imatura em tempos atrás,
Almejo que hoje em dia tenha crescido;

Rogo para que não repita o mesmo erro,
Sinta na pele a falta das minhas carícias,
Que não ouças de ninguém o que lhe digo,
Esqueceste de mim!...




 
Baú de Emoções...
Celso Gabriel de Toledo e Silva - CeGaToSí®
Poeta de Luz® - Arquiteto de Almas®
Poeta dos Sentimentos®
Concebida em: 26/janeiro/2012

Quis por inúmeras vezes fazer uso das palavras, assim que deveria ser,
Com isto libertar sensações e sentimentos contidos, poder respirar...
Mas onde ‘encontrá-las’, quanto revirei meu baú de emoções, por nada,
Confesso que cheguei ao âmago de minh’alma, foi tudo quase em vão;

As dores ainda permanecem presas em partes do meu corpo físico,
Não sangram, nem cicatrizam, nem sei o que farei quando eclodirem,
Nem mesmo sei se as suportarei por mais esta vez, para tudo há limites,
Confronto-me com pensamentos que vem e vão, às vezes agonizam;

Consola-me vez ou outra a noite com seu silêncio, ora me trás a lucidez,
Consola-me vez ou outra a noite com seu silêncio, ora me trás a loucura,
Faz-me de forma figurada caminhar num mar de insegurança e lamentos,
Etapas que não há solução que não seja enfrentar, passado e presente;

Haverá sim a hora que tudo sucumbirá, realidades desmoronarão de vez,
Haverá sim a hora que tudo se evidenciará, mentiras em duras verdades,
Abrir-se-ão meus olhos para tudo o que sabia crer e nunca quis admitir,
Certamente lágrimas não serão contidas, ainda bem, haverá liberdade;

Será a chance que tanto almejo a paz que sonhei e acreditava ter em mãos,
Serei, acredito piamente novamente eu mesmo, feito a defeitos e qualidades,
Estarei quem sabe mais resistente as possíveis perdas, mágoas e feridas,
Porque a cura definitiva duvido eu que exista do amor, nem após a partida.





Amar!...
Celso Gabriel de Toledo e Silva - CeGaToSí®
Poeta de Luz® - Arquiteto de Almas®
Poeta dos Sentimentos®
Concebida em: 11/novembro/2010

Amar!... É muito mais que:
Um 'emprestar' de corpos,
É vivenciar sentimentos,
Absorver sensações,
Ofertar emoções,
Descobrir a si,
Descobrir ao outro,
Compartilhar prazeres,
Criar cumplicidades,
Respeito.




Postagens populares