"Aqui se 'vive' e se 'respira' poesia... Faça parte deste espaço, siga-nos...

"Aqui se 'vive' e se 'respira' poesia... Faça parte deste espaço, siga-nos...

sábado, 24 de setembro de 2011

[Boletim 38] - Comentários... Alma Sofrida... Enfrentando a si próprio... Tempo Constante...


Comentários...
Celso Gabriel de Toledo e Silva - CeGaToSi®
Poeta de Luz® - Arquiteto de Almas®
Concebida em: 09/abril/2003
Por você hoje estou me permitindo há um pouco de emoção,
Não vou negar que busco rir ou chorar, tudo ao mesmo tempo,
Sei que é desejo, que é o medo do novo que se aproxima,
Tudo isto é por você que por um tempo fez parte dos meus sonhos,
Agora acredito estará se transformando em realidade;

Posso estar agindo erroneamente, me precipitando,
Mas o que posso fazer, eu sou assim, sempre puro envolvimento,
Sei que posso me ferir, também ferir ao outro,
Mas é minha característica envolver-se, não faço por maldade,
É pelo prazer de estar próximo, de encontrar minha cara metade;

Não pense que isto é sinal de coragem, quem me dera!
Só se tem a ciência da realização se a sensação for enfrentada,
Muito melhor a dor da resposta negativa do que a dúvida do aguardar,
O destino não se cansa de brincar com meus sentimentos,
Em contra partida não oferto a trégua que minh’alma necessita;

Na verdade nem sei como fazer isto, desistir da vida e das emoções,
Prefiro continuar sendo assim mesmo, viver intensamente,
Estar presente, entrelaçado em dores e perdas, um tempo de solidão,
Estar presente, entrelaçado em alegrias e risos, um tempo de felicidade,
Serei sempre feliz com minhas feridas e com minhas cicatrizes.



Alma Sofrida...
Celso Gabriel de Toledo e Silva - CeGaToSi®
Poeta de Luz® - Arquiteto de Almas®
Concebida em: 17/dezembro/2002
Novamente meus sentimentos me traem,
As lágrimas me acompanham,
Seu nome sussurra em meu ouvido,
Sua imagem não me abandona os olhos;

Novamente meus sentimentos me traem,
Não há como escapar do gostar,
Só eu sei a dor do meu coração,
Minha paz foi consumida;

Tenho consciência da escolha,
Melhor se não pudesse compreender,
Não pense que há arrependimento!
É medo, é solidão, sentimento de perda;

Tenho consciência da escolha,
Sensações que a vida faz questão de frisar,
Testar as emoções além do limite,
Revigorar a alma sofrida...



Enfrentando a si próprio...
Celso Gabriel de Toledo e Silva - CeGaToSi®
Poeta de Luz® - Arquiteto de Almas®
Concebida em: 21/dezembro/2005
Posso estar a me precipitar quanto ao que provocam os sentimentos,

Acreditar sim no que mais se busca e vir a não ser verdade, apenas mágoa,
Contudo o que se deseja é que a ilusão não venha a ser o amargo resultado,
Sendo assim acabar-se crendo que se cabe correr este risco, não o arrependimento;

Por vezes nos esquecemos que o gostar existe e constantemente nos procura,
Por vezes nos guardamos para a vida e assim se deixa com isto de ser feliz,
Criando um medo maior que a coragem que se pensar comandar,
Acabamos com certa freqüência isto sim por tomarmos as atitudes incorretas;

Ficamos a imaginar o que possa ter falhado no contato, na aproximação,
Ficamos a imaginar se foi insegurança, talvez o receio que inibiu as sensações,
Pensar até que se perdeu o brilho do cativar ou nunca o teve realmente,
Mistura de ansiedade pelo novo com as lembranças que carregamos do passado;

Quanto conflitar adolescência com maturidade para assim poder viver as emoções,
Não acreditar sermos fantoches manipuláveis pela necessidade de ser feliz,
Escapar sim da solidão que vez ou outra nos atormenta, inclusive n’alma,
Libertar-se para o amor que existe em nós, enfrentar a si próprio pelo gostar.



Tempo Constante...
Celso Gabriel de Toledo e Silva - CeGaToSi®
Poeta de Luz® - Arquiteto de Almas®
Concebida em: 20/abril/2011
Nosso tempo se esvai...

É regra comum para todos nós que somos mortais,
Alguns têm a chance do viver mais presente,
Contudo, eu vivo esquecido das pessoas,
Semi preso a noite entre quatro paredes,
Liberto-me parte do dia no curso de algumas horas,
Porém sigo em frente quase a viver no meio termo,
Para qualquer ser é preciso seguir adiante, não se pode regredir,
Sendo assim caminho pela estrada que faço,
Por vezes só, por vezes na companhia doutros,
Buscando um tempo com um pouco de felicidade,
Buscando um tempo com um pouco de ilusão,
Ora sou confundido pela saudade,
Clamando assim paz da solidão,
Ora sou agraciado com instantes de harmonia,
Sentimentos que libertam no corpo físico e n’alma,
Suportando a falta do calor humano tão distante,
Raramente ofertado através da alegria d’um abraço sequer,
A falta do sorrir verdadeiro,
O olhar alegre doutra pessoa,
Palavras livres de mentiras,
Mãos solidárias, jamais preparadas para apedrejar,
Atitudes que não provoquem desconfiança,
Sensações que todos precisamos,
Um tempo real de respeito,
De harmonia...
Para que a vida em mim sobreviva,
Para que a vida se manifeste...
Verdadeira, transparente, límpida,
Ainda mais nas outras pessoas,
Para o bem da vida,
Ainda crendo na esperança e na fé,
Meu tempo se esvai e o teu?


Postagens populares