"Aqui se 'vive' e se 'respira' poesia... Faça parte deste espaço, siga-nos...

"Aqui se 'vive' e se 'respira' poesia... Faça parte deste espaço, siga-nos...

sábado, 13 de novembro de 2010

[Boletim 17] - Amar... Mil Pedaços... Sua Presença!... Estranho Amor... Como compreender que te amo... Foste... Inútil Fugir... Parcela de Verdade...


Amar!...
Celso Gabriel de Toledo e Silva - Cegatosi®
Poeta de Luz® - Arquiteto de Almas®
Concebida em: 11/novembro/2010



Amar... É muito mais que:

um 'emprestar' de corpos,

É vivenciar sentimentos,

Absorver sensações,

Ofertar emoções,

Descobrir a si,

Descobrir ao outro,

Compartilhar prazeres,

Criar cumplicidades,

Respeitar.





Mil Pedaços...
Celso Gabriel de Toledo e Silva - Cegatosi®
Poeta de Luz® - Arquiteto de Almas®
Concebida em: 06/janeiro/2003



Encontro-me preso ao silêncio de uma resposta,
Acredito que deva esperar o tempo agir...
Mas é conflitante aguardar... Aguardar,
Estar preparado para o sim ou para o não;

Encontro-me preso ao silêncio de uma resposta,
Acredito precisar agir, mas como!
É preciso respeitar, confesso não entender o calar,
Mas a vida é uma emoção, como não vivenciar;

Serei eu a rocha impávida?
Resistente às perdas, aos medos,
Forte como a razão que sublima o coração,
Um cristal por demais lapidado;

Serei eu a rocha impávida?
Creio ser extremamente frágil,
Transparente, pura emoção e desejo,
Sobrevivendo mesmo em mil pedaços...





Sua Presença!...
Celso Gabriel de Toledo e Silva - Cegatosi®
Poeta de Luz® - Arquiteto de Almas®
Concebida em: 08/setembro/2003



Explica-me porque permaneço ligado a ti,
O que fizemos para isto acontecer,
Foi um mero acaso...
Foi o destino já traçado que nos uniu?

Será que em vidas passadas falhamos!
Deixamos algo por terminar,
Deixamos de viver o que nos cabia,
Como gostaria desta resposta;

És a tormenta de minh'alma,
És a alegria dos meus olhos,
O prazer físico e emocional,
Não sei mais se necessidade ou doença;

Estas em mim...
Presente ou ausente,
Incorporaste em minha vida,
Uma pele que se arrancar morro.






Estranho Amor...
Celso Gabriel de Toledo e Silva - Cegatosi®
Poeta de Luz® - Arquiteto de Almas®
Concebida em: 16/dezembro/2002



Estranho amor...
Frágil e prisioneiro,
Busca pela liberdade,
Falta da consciência de muitos;

Estranho amor...
Frágil e prisioneiro,
Vive com medos,
Confundido entre sonho e realidade;

Estranho amor...
Frágil e prisioneiro,
Corações que procuram paz,
Respeito;

Estranho amor...
Frágil e prisioneiro,
Sentimentos clandestinos,
Emoções proibidas;

Estranho amor...
Frágil e prisioneiro,
Sentimentos mal entendidos,
Ignorância;

Estranho amor...
Frágil e prisioneiro,
Busca entender as pessoas e a vida,
Como! Se a vida não entende as pessoas.





Como compreender que te amo...
Celso Gabriel de Toledo e Silva - Cegatosi®
Poeta de Luz® - Arquiteto de Almas®
Concebida em: 12/agosto/2002



Acredite no que lhe digo...
O que sinto por você é paixão,
Não consigo mais viver na indiferença,
Saber que não vê o brilho dos meus olhos;

Busco um sentimento real,
Já não sei mais como lhe provar meu amor,
Tudo o que faço sempre resulta em nada,
Não descubro o segredo do teu coração;

Acredite no que lhe digo...
A cada dia em dúvidas e conflitos consumo-me,
Se me faço calar,
Se me faço revelar, nada lhe abala;

Busco um sentimento real,
A mesma alegria em nosso sorrir,
Um caminho que se possa seguir juntos,
Sinto ser apenas um sonho e me iludo;

Penso porque provoco tanta dor em minh'alma,
Procuro retornar a vida antiga,
Porém não há como lhe esquecer,
Carrego-lhe em meus pensamentos;

Confesso... Não consigo ouvir de teus lábios um não,
Sei que ajo errado ao lutar por esta sensação,
Já não consigo mais me controlar,
Faço por insanidade, crer existir um resquício de amor;

Penso porque provoco tanta dor em minh'alma,
Explica-me porque fui conhecer a tua estrada,
Respiro meu ar desejando saborear do teu ar,
Por amor ajuda-me, dá-me a lucidez perdida;

Confesso... Não consigo ouvir de teus lábios um não,
Ensina-me como lhe esquecer,
Crer que você é uma ilusão da minha mente,
Não uma realidade que me consome...





Foste...
Celso Gabriel de Toledo e Silva - Cegatosi®
Poeta de Luz® - Arquiteto de Almas®
Concebida em: 17/março/2004



Foste tudo o que sonhei...
Foste o nada que recebi,
Foste palavras que revelaram verdades,
Foste mentiras que neguei aceitar;

Foste o carinho tão almejado,
Foste a ilusão já tão calejada a mim ofertada,
Foste à paz que me permiti receber,
Foste sim a dor e a mágoa constante;

Foste o sonho que fiz transformar-se em realidade,
Foste à fantasia que me cega aos olhos,
Foste à metade que desejava compartilhar,
Foste puro egoísmo e mesmo assim aceitei;

Foste para mim à chama de esperança,
Foste na verdade o engodo,
Foste tudo e nada, conseguiste em mim deixar marcas,
Foste a pior forma de sentimento, amargura.





Inútil Fugir...
Celso Gabriel de Toledo e Silva - Cegatosi®
Poeta de Luz® - Arquiteto de Almas®
Concebida em: 26/maio/2004



Quanto mais se busca fugir,
Mais se é levado ao caminho oposto,
Desejo alguém, que não deseja...
Já passei por alegrias, por perdas,
Mas a vida se faz insistir para que eu seja feliz;

Sei o quanto é difícil, mas pago este preço,
A felicidade pode ser apenas um instante,
A felicidade por ser por toda a minha vida,
Posso, mas não desejo carregar o peso do arrependimento,
A dor e a culpa de não ter acredito no destino;

Cicatrizes todos nós temos...
Não escapo eu ou qualquer outro,
É o esquema da vida, ora ganhar, ora perder,
O segredo está em absorver as lições e compartilhar o que se aprende,
Estar sempre em busca do sentimento chamado gostar;

A vida é única e sem volta...
Cabe a cada qual vivê-la intensamente,
Haja prazer, haja dor neste caminhar,
Encontrar-se-á há metade que ampara,
Imperdoável mesmo é vivê-la em plena solidão.





Parcela de Verdade...
Celso Gabriel de Toledo e Silva - Cegatosi®
Poeta de Luz® - Arquiteto de Almas®
Concebida em:  25/agosto/2010



Ainda são fortes e presentes as lembranças que tenho de ti,
Difícil lhe digo, é esquecer o que se viveu, foram bons os momentos,
Não há em mim um comando que tudo se apaga, sou humano,
A memória quando a razão governa pode ignorar vez ou outra o passado;

Contudo o resultado é muito pior, a saudade resulta em solidão,
Esconder a história do que se viveu é mais frustrante que enfrentá-la,
Carregar em silêncio o que não se resolveu corrói no corpo e n'alma,
Faz morrer duplamente, na fantasia e na consciência;

Não busco com tudo isto a parcela de culpa minha ou tua,
Cada qual, ainda acredito eu, que sabe em que falhou e porque permitiu,
Mas não foi isto que nos afastou, e disto fez-nos estranhos,
Foi o excesso de coragem de um e o medo de outro;

O desejo de um por tudo querer sem compreender os limites,
A minha sinceridade que não venceu o descrédito teu,
Expectativas que não foram além, sucumbiram em falso gostar,
Sentimentos a meia luz, ora certeza, ora arrependimento;

De meu lado sonhos que nunca foram realidade,
Do teu lado realidades que nunca ofertaram um sonho,
Não lhe deixaram perceber que cada qual era um ser único,
Não peças de um jogo que nem você mesmo sabia manipular.



domingo, 7 de novembro de 2010

Espaço Poesia 6 - [Ana Karenina... Nieves Mª Merino Guerra... Maria Iraci Leal... Sara Rosa... Ana Romeo Madero...]

Espaço Poesia


[ ... Aqui os[as] amigos[as] tem o seu espaço... ]


. . . . . . . . . . . . . . . . . .



Nuvens
Ana Karenina



São de tempestades?
São de calmaria?
Minha alma vazia
Tudo se situa no pensar
No desejar
Que algo aconteça
Antes do amanhã.






Amor Amargo
Nieves Mª Merino Guerra
[Canarias - Espanha]


Me envuelve la luna plateada en el mar
Con miles de estrellas cubriendo mi cielo.
Conjura lágrimas amargas con celo
Sedando el dolor, mi tristeza de amar.
Ya sabe la luna de todos mis duelos.
Conoce la herida que rasga mi alma.
Me acuna e intenta llenarme de calma,
Cubriendo con luz mis noches. Consuelo
Que no hayo ni callo. Con lluvias de estrellas
Anego mi llanto. Su brilho cuajado
Duerme en mis miradas, quedándose en ellas.
Mi sueño se ha muerto. Quedó despojado
De toda esperanza. Y mi vida vacia
Acoge la luna en el cielo estrellado.







Livro
Maria Iraci Leal
[Poa - RS]


Precioso companheiro
Acompanhante do tempo
Registro de vida
Cultura e sentimento
Um Bem Universal
Imenso valor considerado
Como o bem de um amante
ao seu amor dedicado
Presença constante e ditosa
Amigo de horas incertas
Uma porta sempre aberta
Palavra, verso ou poesia
Nascido da alma ou do intelecto
É mensageiro de sabedoria!








Não mereces
Sara Rosa
[Portugal]


Não mereces
O amor que te tenho
Não sabes conhecer
Esse Amor que
Está no mais
Fundo do meu ser
Não mereces
Mas não consigo
Tirár-te de mim
És a minha outra... Vida
És a ternura que
Não aceitas em ti
Mas que a tenho
Intacta dentro de mim
Não mereces
O amor puro
O amor no seu
Maior potencial
Não mereces
Mas o meu amor... Por ti
É muito maior do que 
Aquele que não
Fazes por merecer
Te trago nas minhas
Veias, toda em
Mim estás tu
Amor puro, único
Infindável
Por mais que queira
Não mereces
O meu modo
De te amar
Até para lá da Eternidade...







Es preciso
Ana Romeo Madero
[Argentina]



es preciso vivir hasta gestar la libertad
anticiparse a la muerte vitalicia
tomarla por sorpresa y convocarla
escrutar sus rincones
dejar a la intemperie su misterio
no malgastar en ella los espacios
y comprender
es sólo um juego de palabras.



Postagens populares