"Aqui se 'vive' e se 'respira' poesia... Faça parte deste espaço, siga-nos...

"Aqui se 'vive' e se 'respira' poesia... Faça parte deste espaço, siga-nos...

domingo, 26 de dezembro de 2010

[Boletim 20] - Imperfeito Ser... Ao Cair da Noite... A Espera de Quem me Deseja... Solidão: Preço e Paga... Livro Aberto... Igual a Você... Corpo e Alma!...



Imperfeito Ser...
Celso Gabriel de Toledo e Silva - Cegatosi®
Poeta de Luz® - Arquiteto de Almas®
Concebida em: 12/maio/2006


Vejo em você uma pureza que me surpreende,
Em mim uma paz que se faz contagiante...
Uma sensação que se faz por envolver em meu corpo,
Trás a mim uma tranqüilidade que me liberta;

Vejo em você uma pureza que me surpreende,
Em mim um conflito que me atormenta...
Um desejo que me tira a razão, o raciocinar,
Trás a mim sentimentos que me aprisionam;

Quisera eu ter a explicação para tudo o que você me provoca,
Esta paz e este conflito que me acompanham,
Esta sensação em meu corpo, este desejo que me desorienta,
Esta tranqüilidade que me liberta, os sentimentos que me aprisionam;

Quisera eu ter a explicação para tudo o que você me provoca,
Sei perfeitamente que esta situação nunca se alterará,
Entre nós nada haverá d'uma amizade sincera e carinhosa,
A vida me ensinou a lapidar as palavras, imperfeito ser para o gostar.




Ao Cair da Noite...
Celso Gabriel de Toledo e Silva - Cegatosi®
Poeta de Luz® - Arquiteto de Almas®
Concebida em: 21/outubro/2005


Sei que ao cair da noite estarás em meus braços...
Respiraremos da mesma felicidade, do mesmo afeto,
Verei em teu rosto o doce sorrir que emanas,
Absorverei o calor do teu corpo junto ao meu corpo;

Haverá o tempo para as conversas corriqueiras,
Haverá o tempo para as conversas mais íntimas,
Haverá, sobretudo, a vida existindo em nós,
Metades que por um tempo serão um único ser;

Aguardarei pelas tuas carícias na minha pele,
Afagar teus cabelos, teu corpo que só eu conheço,
Esquecer da razão na delícia dos lábios teus,
Deixar passar desapercebida algumas poucas lágrimas;

Desfrutarmos da alegria ofertada pelo viver,
Compartilhar músicas, jantar a dois, taças de vinho,
Viver intensamente o tempo abençoado pelo destino a nós,
Esquecer do mundo lá fora enquanto juntos estivermos ao cair da noite.




A Espera de Quem me Deseja...
Celso Gabriel de Toledo e Silva - Cegatosi®
Poeta de Luz® - Arquiteto de Almas®
Concebida em: 09/abril/2006


Quanto mais a mim caberá a desventura!
A espera quem sabe, de viver a teu lado...
Sonhar com este tempo sem hora,
Imaginar, quem dera, que um dia será verdade;

Creio ser fadado ao prazer do amor platônico,
Proibido do amor físico que excita,
Da sensação do toque na pele que arrepia,
Do desejo que leva a 'loucura' do prazer;

Ficar dividido a espera da metade que me deseja,
Não suporto mais, tenho consciência, a vida não espera...
Eu necessito da tua presença real no meu caminhar,
Compartilhar sentimentos, viver as sensações;

Não apenas carregar a ilusão d'uma chegada sem dia,
Aguardar que meu sonhar venha a ser real,
Libertar-me de vez deste sofrimento, imploro ao pés da cruz,
Vivas comigo o que a vida nos oferta ou deixa-me viver o que oferta à vida.



Livro Aberto...
Celso Gabriel de Toledo e Silva - Cegatosi®
Poeta de Luz® - Arquiteto de Almas®
Concebida em: 08/abril/2008


Fui-te o livro aberto que aos poucos permiti a tua mão folhear,
Podes assim observar nas folhas transparentes, apenas verdade,
Respeito e sinceridade, sem sombra de dúvida a oferta da amizade,
Sonhei com a tua reciprocidade, nunca um jogo incerto;

Em momento algum enganei-te com mentiras, falsos testemunhos,
Mesmo que não tenhas percebido ofertei meu rosto a teus tapas,
Graças aos anjos que me protegem não carregais em tu'alma violência,
Nunca senti das tuas mãos algum peso, alguma pedra que me ferisse;

Porém, entristece-me saber que não foste capaz de ser fiel,
Quiseste saborear mais do que te convinha do doce que podias aproveitar,
O pecado da gula e da soberba não está definido nisto ou naquilo,
Não há padrões a serem seguidos, cabe ao individuo prudência e não tivestes;

Concebestes contra ti mesmo o perjúrio de se achar um ser inatingível,
Por capricho colocastes tua honra na berlinda, nas mãos do teu próprio inquisidor,
Fizestes da tua consciência um mar revolto, sem porto tranqüilo para ancorar,
Uma nau solitária, a deriva, perdida no tormento das atitudes impulsivas;

Caberá somente a ti encontrar o ancoradouro seguro, quem sabe uma segunda chance,
Poder olhar no horizonte e ver que o amor que desprezou ainda te aguarda,
Quem sabe, o mais triste de tudo, o resultado da tua escolha, caminhar no vazio,
Usar das lágrimas que podiam ser de felicidade, mas que hoje te esvai de saudade.




Solidão: Preço e Paga...
Celso Gabriel de Toledo e Silva - Cegatosi®
Poeta de Luz® - Arquiteto de Almas®
Concebida em: 18/junho/2007


Qualquer preço, qualquer necessidade, pode não ser material,
Porém as referências precisam existir para a cobrança ou a paga,
Qualquer individuo as estabelece, isto não se pode negar...
Alguns podem não possuir praticamente nada e ter tudo,
Alguns podem possuir praticamente tudo e nada ter,
O peso, a paga deste preço pode ser material, pode ser Cármico,
Refletir financeiramente, quando não refletir nas atitudes d'alma;

Cada situação se apresenta conforme a resolução que seja premente,
Para alguns o recebimento, para alguns conseguir o que não possui,
Para alguns um sentimento implacável, para alguns a suavidade,
Pode-se fazer constante, como ferida que não cicatriza, um martírio,
Pode-se fazer parte da felicidade, parte d'uma tristeza, o saber da escolha,
Vivem alguns a desviar das pedras que pisam, de muitas que são atiradas,
Vivem alguns a enfrentar, quase sem trégua, buscando mesmo assim a paz;

Não há como esquecer, cá está ladina a solidão, agindo de forma sorrateira,
Mesmo na luta que a vida solicita e nos faz ora vencedor, ora perdedor,
É preciso 'manter a guarda' estar atento para perceber e reagir, não sucumbir,
Evitar a qualquer custo que a sensação se instale, faça-se de irônica, derrota,
Evitar o desequilíbrio entre razão e emoção que resultará em desarmonia,
Nunca deixar a mente vulnerável a pensamentos que criem negatividade,
Sorrir sempre, nem que seja para si, ver no seu reflexo garra, nunca desânimo;

A satisfação será acreditar, mesmo em lágrimas caminhar de cabeça erguida,
Haverá neste viver o preço, a necessidade, podendo não ser material,
Haverá a premissa do refletir financeiramente, principalmente refletir n'alma,
Ainda sim fazer constante a ferida que não cicatriza, ou, sobretudo, encontrar a cura,
Fazer parte da felicidade, parte da tristeza, nunca do arrependimento pela recusa,
Sorrir... Sempre, nem que seja para si, ver no seu reflexo garra, nunca desânimo,
No fim, ainda sim cá estará ladina a solidão, porém comandada, não comandante.




Igual a você...
Celso Gabriel de Toledo e Silva - Cegatosi®
Poeta de Luz® - Arquiteto de Almas®
Concebida em: 20/maio/2009


Você sabe quem eu sou?
Eu sou alguém tão simples como você,
Eu sou um ser que se emociona,
Eu sou um ser que vez ou outra se irrita,
Afinal, somos mortais, de carne e osso,
Com um começo de vida, mas nunca saber de seu final;

Você sabe quem eu sou?
Eu sou metade razão, metade emoção,
Nem sempre no equilíbrio ou na mesma proporção,
Eu sou mescla de sensações e sentimentos,
Eu sou conflitos e realizações como qualquer pessoa,
Com certa bagagem de vida, porém nunca completa;

Você sabe quem eu sou?
Eu sou saudade, eu sou alegria, às vezes tristeza,
Eu sou felicidade, eu sou vitórias, também derrotas,
Parte do viver diário, ora ganhar, ora perder,
Parte real do aprendizado constante chamado vida,
Um livro com poucas páginas preenchidas, muitas em branco;

Sou simples como você,
Sou metade razão, metade emoção,
Sou saudade, alegria, às vezes tristeza,
Sou um ser que se emociona, se irrita,
Sou conflitos e realizações,
Sou a busca de paz, harmonia, sobretudo respeito;

Peço apenas o mínimo...
Uma oferta de educação entre todos,
Uma chance de compartilhar solidariedade,
Um tempo para vivenciar a amizade verdadeira,
Uma oportunidade para descobrir a dignidade,
Para todos, indistintamente, a chance de um mundo mais justo.




Corpo e Alma!...
Celso Gabriel de Toledo e Silva - Cegatosi®
Poeta de Luz® - Arquiteto de Almas®
Concebida em: 23/dezembro/2010


Dias atrás,
Pensei tanto em ti,
Amarguei a saudade que nos separa,
Analisei tudo o que vivenciamos,
As alegrias compartilhadas,
As lágrimas que cada qual já demonstrou,
As palavras que já foram ditas,
Tantas outras que ainda desejo dizer,
Mas na hora que creio ser fatídica,
Quando sorrateira se faz a solidão,
Vence mesmo é a emoção,
Faz ponderar a razão,
Faz com que os sentimentos sejam evidentes,
Que meu corpo entenda que não vive sem o teu,
Minh'alma faz-se gêmea a tua,
Do gostar crescemos para o mútuo amar,
Somos sem dúvida, pura sintonia,
Se ficar sem você...
Literalmente morro!



Postagens populares