"Aqui se 'vive' e se 'respira' poesia... Faça parte deste espaço, siga-nos...

"Aqui se 'vive' e se 'respira' poesia... Faça parte deste espaço, siga-nos...

domingo, 31 de outubro de 2010

[Boletim 16] - Nem Eu, Nem Você... Ferida... O que me restou... Náufrago... Olhos Apaixonados... Imprudência... Penso em ti e te espero...



Nem Eu, Nem Você...
Celso Gabriel de Toledo e Silva - Cegatosi®
Poeta de Luz® - Arquiteto de Almas®
Concebida em: 10/outubro/2009


Porque vivo ainda enfeitiçado por você?
Quem me dirá o que ainda não compreendo!
Permaneço como que aprisionado por este seu doce sorrir,
Sei que metade necessita desta tua ingenuidade,
Sei que metade necessita desta tua safadeza;

Lembranças as quais se fazem permanecer atuais,
Carícias que tenho consciência não foram esquecidas,
Manifestam-se ainda com mais vigor em minha pele,
Como se juntos estivéssemos dia após dia,
Há momentos de esquecimento, também de martírio;

Sonho sentir novamente teus lábios junto aos meus,
Teu corpo colado ao meu, quase em simbiose,
Boa música, taças de vinho, entre afagos intimidade,
Eu e você, longos olhares, uma vida em comum, nada mais,
Desejos sem realização, esperança sucumbida pela separação;

Serão sempre vivas as recordações gravadas em minha mente,
Uma tarde de sábado quando lhe vi pela primeira vez,
O mesmo brilho em nossos olhos transbordando alegria,
Um abraço, a mesma química, a mesma sensação - amor...
Vidas perdidas sem explicação, sem se saber o porque, nem eu, nem você.


. . . . . . . .


Ferida...
Celso Gabriel de Toledo e Silva - Cegatosi®
Poeta de Luz® - Arquiteto de Almas®
Concebida em: 09/março/2003


Por alguns dias sentirei a ferida das tuas últimas palavras,
Confesso que tentei não me lembrar do que ouvi,
Mas como controlar a perda, a sensação de impotência,
Como não se lembrar de alguém que se fez presente;

Será para mim a ilusão de um desejo,
Será para você a falta de coragem,
Como me disse mesmo! Covardia...
Eu sofro, você acredito muito mais;

Não posso mentir sobre o que sinto,
Carrego uma certa mágoa, uma tristeza em meu peito,
Encontrei em você um sentimento tão verdadeiro,
Como pode me trair e querer amizade;

Ofertei uma vez o meu perdão,
Não me peça pela segunda vez,
Bateste em meu rosto e não revidei,
Ofereci o outro lado e nem um afago sequer recebi;

Suportarei em silêncio esta dor,
Aprenderei a lhe esquecer,
A vida me mostrará outro caminho,
Ainda encontrarei a minha felicidade.


. . . . . . . .


O que me restou...
Celso Gabriel de Toledo e Silva - Cegatosi®
Poeta de Luz® - Arquiteto de Almas®
Concebida em: 11/março/2007


Desarmei-me para a tua chegada...
Acreditei que o amor reinaria,
Fiz-me como a um livro aberto,
Transparente e sem segredos,
Folhas de sinceridade e verdade, nada mais;

Deixaste em mim a lembrança do teu perfume,
A suavidade da tua pele no calor dos meus braços,
O desejo quase incontrolável de teus beijos,
Realidade e fantasia num mesmo ato, prazer,
Momentos únicos, fotografados pelas minhas retinas;

Permitimo-nos, entregamo-nos, sei que fomos conscientes,
Porém, hoje, no dia seguinte o que me restou foi à saudade,
Falhei comigo? Quem sabe falhamos conosco também!
Tudo voltou a ser como era...
Silêncio, solidão, a constante sensação de arrependimento;

Ficará em mim por dias apenas dúvidas,
Explicações de teus lábios eu nunca as ouvirei,
Prosseguir me caberá, cada dia é um novo caminhar,
Sobreviverei, sobretudo da esperança.




. . . . . . . .


Náufrago...
Celso Gabriel de Toledo e Silva - Cegatosi®
Poeta de Luz® - Arquiteto de Almas®
Concebida em: 12/fevereiro/2002


Náufrago é o que sou...
Perdido sem um porto,
Preso por um bilhete,
Em busca de socorro;

Náufrago é o que sou...
Perdido sem um porto,
Atirado de um lado para o outro,
Perdido na vastidão e só;

Náufrago é o que sou...
Perdido sem um porto,
Levado sem destino pelas ondas,
Consumido pela espera;

Náufrago é o que sou...
Perdido sem um porto,
Uma mensagem sem resposta,
Palavras já sem ação;

Náufrago é o que sou...
Perdido sem um porto,
Alguém que se cansou da vida,
Pediu apenas oportunidades;

Náufrago é o que sou...
Perdido sem um porto,
Esquecido pela vida,
Rejeitado pelo amor.




. . . . . . . .


Olhos Apaixonados...
Celso Gabriel de Toledo e Silva - Cegatosi®
Poeta de Luz® - Arquiteto de Almas®
Concebida em: 04/janeiro/2010


Quando se apaixonam meus olhos são como cartas de amor,
Perdidos permanecem neste desejo chamado gostar,
Anseiam pelo toque da tua mão em minha face,
Buscam por teus lábios próximos ao meus, um beijo;

Parte de meu corpo não obedece mais a razão,
Parte de meu corpo só sabe respirar emoção,
Vivo em conflito, nem sei que rumo seguir,
Os pensamentos que deveriam me orientar nada fazem;

Quando se apaixonam meus olhos são como cartas de amor,
Oferta a mim um único verbo que consigo conjugar, vá...
Minha consciência repete freneticamente, não desista,
Esta é a tua chance de felicidade, parta em busca;

Nem sempre temos as respostas que desejamos,
Melhor arriscar do que ficar como sobra o arrependimento,
Pode ser que dores surjam de algo não correspondido,
Contudo as sensações foram libertas e vivenciadas;

Oferta a mim um único verbo que consigo conjugar, vá...
Vivo em conflito, nem sei que rumo seguir,
Anseiam pelo toque da tua mão em minha face,
Quando se apaixonam meus olhos são como cartas de amor.




. . . . . . . .


Imprudência...
Celso Gabriel de Toledo e Silva - Cegatosi®
Poeta de Luz® - Arquiteto de Almas®
Concebida em: 23/junho/2007


Levará um tempo para que eu consiga me libertar da tua presença,
Será difícil, será mais uma perda que aprenderei a suportar,
Mais uma vez desarmei a minha guarda, foi tudo em vão...
Restou-me apenas a desesperança que me acompanhará;

Por dias, talvez meses, perguntas e mais perguntas, incertezas,
Respostas às quais sei não serão obtidas, não estão em meus lábios,
Fui apenas emoção, esperava apenas o amor, um gesto de carinho,
Bani a racionalidade, como tal deixei-me ferir, pior, sangrei n'alma;

Aproximei-me de ti com flores e verdades, recebi apenas espinhos,
Cá me encontro, em desordem emocional, tentando recuperar as energias,
Acreditando reaver a metade que em ti estabeleci e a mim nada se permitiu,
Acredito que foste verdade comigo, porém não a sinceridade que julgava conhecer;

Em você como bem me disse depois, há confusão, muitas dúvidas,
Em mim ficará a derrota da certeza de um gostar puro e compartilhado,
Um sentimento que se mostrava tão presente e real, mas nada palpável,
Desejo sucumbido por medo, oportunidade desperdiçada por insegurança;

Infelizmente não houve a vitória do amor, um relacionar almejado,
Haverá sim um recomeçar que consumirá tempo, libertar dores, saudade...
Marcas além pele, cravadas no mais secreto de nossas mentes,
Imploro que nunca como arrependimento para que não se carregue na eternidade.




. . . . . . . .


Penso em ti e te espero...
Celso Gabriel de Toledo e Silva - Cegatosi®
Poeta de Luz® - Arquiteto de Almas®
Concebida em: 25/dezembro/2009


Confesso-te que só de te olhar me sinto enfeitiçar,
Sei que quase fico sem controle dos meus próprios limites,
Faz de modo sorrateiro que me envolve na tua meiguice,
Na discrição faço por lhe admirar, muito mais desejar;

Persiste a ânsia de sentir a maciez da tua pele em minhas mãos,
Absorver o calor envolvente do teu corpo junto ao meu,
Ter meus lábios junto aos teus em puro gostar, quase deleite,
Realizar paixões secretas, não mais sonhar em vão;

Estar contigo no mesmo caminhar seguros e conscientes de mãos dadas,
Abraçarmos a vida que nos presenteia, sermos a mesma realidade,
Livres de pudores, preconceitos, de forma simples e vivermos felizes;

Compartilhar no seu tempo quando preciso for afeto, sobretudo amizade,
Sermos mais que um simples casal, ser dos nossos sentimentos amantes,
Cientes dos prazeres, das sensações e da mesma verdade, amor...



Postagens populares